2.º Programa Formação Algarve prevê investimento de 2M?

A 2.ª edição do programa Formação Algarve prevê um investimento de dois milhões de euros para mitigar os efeitos da sazonalidade turística na região através da formação profissional e apoio à renovação ou conversão de contratos de trabalho a termo, estimando-se que possa abranger dois a cinco mil trabalhadores. “É uma medida que se destina especificamente à região algarvia, totalmente financiada com fundos nacionais ? uma vez que o Algarve, como é sabido, está fora da possibilidade de receber fundos comunitários ? e que se destina essencialmente a combater o fenómeno da sazonalidade no turismo algarvio e as suas consequências em termos do emprego”, explicou à Lusa Pedro Roque, secretário de Estado do Emprego, após a apresentação da iniciativa. Além de Pedro Roque, a cerimónia de apresentação da iniciativa, que decorreu em Faro, contou também com a presença de Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo, bem como de vários responsáveis algarvios, como Desidério Silva, presidente do Turismo do Algarve, e Elidérico Viegas, presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve. Lançado este ano mais cedo, o programa Formação Algarve, que se destina a dar formação profissional a desempregados do Algarve que fiquem sem trabalho durante a época baixa devido à suspensão ou paragem da actividade das empresas em que trabalham, deverá contar com mais adesões que no ano transacto, quando a iniciativa tinha sido lançada em Setembro. Destinando-se essencialmente à área da hotelaria mas também à construção civil e ao comércio, o programa está aberto a candidaturas de trabalhadores cujos contratos de trabalho terminem entre 01 de Setembro e 30 de Novembro de 2013 e prevê também uma série de acções de formação em contexto de trabalho, que vão decorrer entre Novembro de 2013 e 31 de Maio de 2014. I.M.