2016 foi o melhor ano turístico de sempre para o Centro

Os resultados definitivos do INE para a actividade turística em 2016, divulgados no final da semana passada, colocam a região Centro de Portugal a crescer a dois dígitos a nível de hóspedes, dormidas e receitas, face ao ano anterior.

Em 2016, o Centro de Portugal registou 5,64 milhões de dormidas, numa subida de 11,57% face a 2015. Os mercados externos contribuíram com 2,36 milhões de dormidas, +13% que no ano anterior, enquanto o mercado nacional subiu 10,6%. Os hóspedes foram 3,23 milhões, +12,1 que em 2015, com os mercados externos a subirem 15% e o mercado nacional 10,4%. Espanha continua a ser o principal mercado

(304 mil hóspedes em 2016, mais 11%), seguido de França (185 mil) e Brasil (103 mil) que registou o maior crescimento do ano: +25%.

Os proveitos totais dos alojamentos turísticos dispararam 15,3%, tendo superado os 256 milhões de euros, com o rendimento médio por quarto disponível a subir 2,64%, para 20,6€.

Para Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, estes resultados, que eram já esperados, “comprovam que a estratégia que definimos é a mais correcta. O Centro de Portugal reúne as condições ideais que definem um destino atractivo, devido à sua grande diversidade de recursos turísticos e possibilidades de visita. É um território único e ao mesmo tempo diversificado, capaz de atrair o turista mais curioso e exigente. É por isso que tem vindo a ganhar espaço como destino na percepção dos turistas, a nível nacional como internacional”.

Quanto aos resultados de 2017, Pedro Machado acredita que “estão reunidas todas as condições para que o ano de 2017 seja ainda melhor do que 2016. Estamos em crer que isso irá acontecer e que 2017 será, de novo, o melhor ano de sempre para o turismo no Centro de Portugal”.