2016 será “o ano mais forte do turismo algarvio”, diz Desidério Silva

Fazendo a análise dos resultados do primeiro semestre deste ano e perspectivando os próximos meses com base nas reservas, o presidente da Região de Turismo do Algarve não podia estar mais satisfeito pois, como afirma “todos os indicadores mostram que 2016 será o ano mais forte do turismo algarvio”.

De Janeiro a Junho deste ano, o Algarve registou cerca de 7,4 milhões de dormidas nos seus estabelecimentos hoteleiros, +13,3% que no mesmo período do ano transacto. No total, foram mais de 870 mil novas dormidas na região, sendo ainda de destacar a retoma do mercado interno, responsável por um aumento de 4% nas dormidas, totalizando cerca de 1,3 milhões de dormidas.

Ao nível dos proveitos a situação é igualmente muito positiva, sendo que só em Junho foi registado um aumento de 19,8% face ao mesmo mês de 2015.

O número de passageiros processados pelo aeroporto de Faro cresceu 18,6% para 3.175.130 passageiros, sendo o Reino Unido, Alemanha, Irlanda, Holanda e França os principais mercados emissores e a Ryanair, easyJet, Monarch, Transavia e Jet2.com, as companhias aéreas com maior número de passageiros processados.

“As taxas de ocupação até Junho têm sido muito boas e superam as de 2015 em igual período. Registou-se um crescimento importante nos meses que antecipam o verão, uma época normalmente mais difícil em termos de ocupação para o Algarve”, afirma Desidério Silva, acrescentando que “o Verão está a correr muito bem, e os resultados de Julho e Agosto irão consolidar os bons resultados desta época balnear. Também é expectável que os meses de Setembro, Outubro e Novembro registem uma taxa de ocupação mais elevada do que no ano transacto”.

Face aos dados disponíveis para os próximos meses, o presidente da RTA afirma que eles mostram que a estratégia que está a ser seguida pela região “está a dar frutos”, uma vez que “já estamos a verificar um aumento significativo da procura em meses de época baixa. Estamos claramente a caminhar para um Algarve “de todo o ano”, acrescenta.