43º Congresso APAVT: Distribuição Turística contribui com 2,1% para o PIB  

Esta é uma das conclusões do estudo sobre o valor da distribuição turística em Portugal promovido pela APAVT com o objectivo de dar a conhecer a realidade do sector, estimar o valor económico da distribuição turística e o seu contributo para a economia portuguesa, e saber do posicionamento do sector no contexto das grandes tendências das viagens e turismo.

O valor estimado de 2,1% do PIB corresponde a cerca de 3.240 milhões de euros e resulta da medição do impacto directo, indirecto (valor acrescentado e emprego gerado ao longo da cadeia de valor) e ainda do impacto induzido (valor acrescentado e emprego induzido pelas despesas dos trabalhadores directa e indirectamente ligados ao sector) gerados pelo sector da distribuição em Portugal, segundo explicou Sandra Primitivo, directora executiva da Unidade EY-AM&A, consultora que realizou o estudo.

Segundo o estudo, apresentado durante o 43º Congresso da APAVT, em Macau, o impacto directo está orçado em 1.050 milhões de euros, cerca de 0,7% do PIB, enquanto a soma do impacto directo com o impacto indirecto chega aos 1.820 milhões de euros, ou 1,2% do PIB.

Sandra Primitivo destacou ainda que a distribuição turística está a crescer acima da média da economia nacional e que o seu peso na economia do nosso país é 10% superior à média europeia, tendo Portugal sido também o país onde este sector mais cresceu entre os anos de 2012 e 2015.

Segundo o estudo, o sector das viagens e turismo era composto, em 2016, por 2.033 empresas com 9.687 empregados. Nesse ano, as empresas do sector foram responsáveis por um volume de negócios de 2.131 milhões de euros que gerou um valor acrescentado bruto de 241 milhões. No total das empresas que actuam na distribuição turística predominam as que têm entre 10 e 50 empregados, havendo a destacar que o sector é composto por profissionais com um nível de escolaridade superior à média das empresas nacionais.

*Turisver.com em Macau a convite da APAVT