45º Congresso APAVT: “Sem um turismo forte e competitivo não vamos ter crescimento”, alerta presidente da CTP

“Sem um turismo forte e competitivo não vamos ter crescimento económico, não vai haver redução do desemprego e não há criação de riqueza como tivemos nestes últimos quatro anos com a grande participação do turismo”, afirmou Francisco Calheiros, no encerramento do 45.º Congresso APAVT, no Funchal.

Porque tem sido, principalmente, pelo turismo que a economia do país tem crescido e o desemprego tem diminuído e também por através deste sector de actividade se tem gerado riqueza, o presidente da Confederação do Turismo de Portugal foi ao congresso da APAVT afirmar que “o Governo deve retribuir ao turismo aquilo que ele tem feito por Portugal”. E justificou com duas razões: “a primeira é que o turismo merece, a segunda é que o país agradece”.

Na sua intervenção Francisco Calheiros recordou que a CTP entregou ao Governo e aos partidos políticos “um documento muito extenso” em que dava conta das suas preocupações e reivindicações, umas de índole mais geral, outras directamente relacionadas com a actividade económica do turismo. Estas últimas focavam temas como os transportes e acessibilidades (Aeroporto de Lisboa, Montijo, ferrovia, entre outros), os recursos humanos (formação, qualificação e valorização das profissões do turismo) e a fiscalidade.

Detendo-se no último ponto, o presidente da CTP deixou claro que “não é mais possível continuarmos com este índice de fiscalidade” porque “há fadiga fiscal” e questões fundamentais como a “dedutibilidade do IVA nos MICE” porque, tal como foi sublinhado durante o Congresso “não podemos ter um evento em Vigo a custar menos 23% que um em Elvas”.

*No Funchal a convite da APAVT