7.ª Convenção Anual da ARP juntou 80 participantes

A 7.ª Convenção Anual da Associação Rodoviária de Transportadores Pesados de Passageiros (ARP), que decorreu a 26 e 27 de Janeiro, no Santarém Hotel, reuniu 80 participantes, num evento onde se debateu o estado do sector, sob a temática “Cooperar para competir”. O ponto alto da convenção, diz a associação em comunicado, coincidiu com a intervenção do engenheiro Carlos Rosete, que abordou a temática “Como evitar multas de tacógrafo”, num dos dois seminários incluídos no programa de trabalhos, enquanto o painel “Princípios e preços”, da autoria do engenheiro José Luís Carreira, foi dos que captou maior atenção. Entre as questões debatidas, a convenção permitiu concluir que, neste sector, “o valor das coimas está desajustado da realidade nacional” e que “isoladamente as empresas não conseguem ser competitivas”, sendo por isso “necessária a convergência de práticas entre empresas de transporte”. Por outro lado, foi também possível perceber que “a identificação dos custos da actividade e a definição de preços recomendados” é necessária, o que leva a ARP a afirmar que “o autocarro não pode ser encarado como o parente pobre do turismo” e que “o serviço ocasional em autocarro continua a ser vítima de concorrência desleal”. Relativamente à actividade, concluiu-se ainda que “um motorista não pode ter um horário de trabalho de um empregado de escritório” e que “é preciso criar barreiras à entrada no acesso à actividade”. Já quanto ao desempenho do sector, a convenção serviu também para perceber que “a sazonalidade agrava-se em cenários de crise” e que o “capital investido apresenta baixa rentabilidade e retorno financeiro com um período demasiado longo”, sendo por isso “fundamental uma subida de preços que envolva todos os transportadores”. Além das sessões de trabalho, a 7.ª Convenção da ARP contou ainda, no dia 27 de Janeiro, com a assembleia-geral da associação, que ditou a aprovação, por unanimidade, das contas de 2012 e do orçamento para 2013, bem como com um programa social que incluiu a visita a alguns dos principais monumentos da cidade de Santarém. I.M.