A 21 de Novembro: Lisboa acolhe pela 1ª vez Gala Michelin

Pela primeira vez, Lisboa vai ser palco da gala de apresentação da edição 2019 do Guia Michelin. O evento, marcado para 21 de Novembro no Pavilhão Carlos Lopes, recebeu um apoio superior a 400 mil euros por parte do Governo que dele espera “um grande retorno para a economia da cidade e do país”.

A afirmação é do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral que numa cerimónia realizada esta segunda-feira, 25 de Junho, nos Paços do Concelho avançou que “os apoios públicos ultrapassam um pouco os 400 mil euros, da Entidade Regional de Promoção do Turismo de Lisboa e do Turismo de Portugal, mas o investimento será muito maior, mas que também se paga a si próprio com as receitas que esta gala gera”. Para o governante, citado pela Agência Lusa, trata-se de “um investimento que vem para Lisboa,”, de “um investimento de muitas pessoas que vão estar aqui e que vão gerar um grande retorno para a economia da cidade e do país”.

O ministro da Economia deixou também uma palavra à nova geração de Chefes de Cozinha que “trouxe uma nova dinâmica à restauração portuguesa; soube reinventar a cozinha portuguesa, não a descaracterizando, mas pelo contrário, puxando pelas suas características únicas e dando-lhes um tom de modernidade, que faz com que esta cozinha, não perdendo as receitas tradicionais, possa ser uma cozinha actual e uma cozinha que se reinventa a cada dia. Tem ajudado muito também a promover Portugal”.

Na sua intervenção, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, enalteceu “a profunda alteração qualitativa da oferta turística” que na última década aconteceu no país e, particularmente, em Lisboa, sublinhando que hoje “a experiência oferecida na hotelaria está muito acima do que era. A animação turística é muito melhor, muito mais diversificada, abrangente e rica. A oferta propiciada pelos equipamentos culturais é muito mais diferente e focada nas necessidades de quem nos visita. E, ao nível da gastronomia, é um mundo de diferenças”, destacou Medina.

Já a directora comercial do Guia Michelin Espanha e Portugal, Mayte Carreño, assinalou que 2017 e 2018 foram “anos históricos” para a restauração e para a gastronomia portuguesa, e “precisamente por isso a gala tinha de peregrinar este ano até Lisboa”, cita a Agência Lusa.

Na apresentação foi igualmente sublinhado o facto de Lisboa receber a gala Michelin, que até agora tem decorrido sempre em Espanha, “num ano muito especial”, o do seu 10º aniversário.

Sublinhe-se que  na edição deste ano do Guia Michelin, Portugal tem cinco restaurantes com duas estrelas e 18 restaurantes com uma estrela.