A4E apela para solução rápida nos controlos fronteiriços dos aeroportos europeus

A Associação Airlines For Europe (A4E) afirma que os passageiros têm enfrentado “enormes atrasos” de voos este Verão. Na base destes atrasos estão as filas para os controlos da emigração, que têm obrigado a uma espera de horas. Entre os aeroportos  afectados estão os de “Espanha, França, Itália, Bélgica e Portugal” onde se têm registado “filas de imigração superiores a quatro horas”.

De acordo com a A4E “milhares de voos não conseguem partir no horário” e “alguns passageiros perdem até os seus voos” devido aos atrasos que se têm verificado nos controlos de imigração, situação que, segundo a associação, se deve a uma manifesta “escassez de pessoal para fazer face ao cumprimento de um regulamento mais apertado da União Europeia sobre a fiscalização de fronteiras”.

Este Verão, os passageiros aéreos “tornaram-se vítimas do impacto desproporcional que a implementação de um movo regulamento da União Europeia está a ter no fluxo de tráfego nos aeroportos europeus”, diz a associação, alertando que “os Estados-membro devem tomar todas as medidas necessárias para prevenir tais situações disruptivas, alocando pessoal e recursos em número suficiente para que sejam cumpridos os necessários requisitos de fiscalização”.

“A A4E apela para uma rápida solução em nome dos passageiros e das companhias aéreas europeias”, diz Thomas Reynaert, Managing Director da associação. O responsável acrescenta que “particularmente durante as épocas de pico, os passageiros enfrentam enormes filas de espera e não conseguem embarcar. As filas de espera têm atingido recordes de quatro horas e aeroportos como Madrid, Palma de Maiorca, Lisboa, Lyon, Paris-Orly, Milão e Bruxelas, deram uma vergonhosa imagem de passageiros devastados frente aos postos de imigração, com filas de centenas de metros”. Alertando que “em alguns aeroportos, os atrasos aumentaram mais de 300% face ao ano passado” Reynaert afirma que “os Estados-membro têm que assumir as suas responsabilidades por isto”.

A associação Airlines for Europe afirma que apoia os esforços da União Europeia no que toca ao reforço do controlo das suas fronteiras externas a fim de preservar o acordo de Schengen mas sublinha que “a incapacidade dos Estados-membro em fornecerem recursos eficientes está a ter um impacto directo nas operações das companhias aéreas europeias no aeroportos da Europa”.