Aberto concurso para cargos directivos do Turismo de Portugal

A CReSAP – Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública abriu esta quarta-feira o concurso para os cargos de presidente e de vice-presidente do Conselho Directivo do Turismo de Portugal, bem como para dois vogais. O prazo para apresentação de candidaturas decorre até 20 de Setembro.

Segundo divulgado no site da CReSAP (http://www.cresap.pt/aviso-integral-de-concursos.html), o candidato à presidência do Turismo de Portugal deverá ter formação preferencial na área de Direito, com formações e/ou especializações em áreas relacionadas com gestão e turismo.

Em termos de experiência profissional valoriza-se a experiência nas áreas e atribuições constantes da Lei Orgânica e em especial no exercício de responsabilidades de topo em organizações de grande dimensão, em ambiente empresarial e abertas à concorrência internacional; o exercício de cargos públicos; a coordenação de área de Comunicação e Marketing; a estruturação e avaliação de políticas e planos estratégicos de desenvolvimento de novos negócios; internacionalização de empresas em ambiente competitivo; estruturação e avaliação de políticas de desenvolvimento sustentável; definição estratégica de políticas de valorização e qualificação dos recursos humanos;  definição e implementação de programas inovadores de formação; representação institucional de alto nível e, em especial, a nível internacional.

O procedimento concursal estipula ainda que o candidato à presidência do TP dever ter conhecimentos de inglês, francês e espanhol, falados e escritos;  visão, capacidade de planeamento e de atingir os objectivos propostos; capacidade na implementação e na gestão de acções de mudança que conduzam a uma melhoria contínua do serviço e dos processos.  A remuneração prevista para este cargo é de 4.752,60€ + 1.663,40€ (Despesas de Representação).

Também os candidatos à vice-presidência do mesmo organismo deve ser preferencialmente licenciado em ser licenciado em Direito, com formações  ou especializações na área de Gestão Pública.

Neste caso valorizam-se experiências profissionais no exercício de cargos de direcção superior em organismos com atribuições na área do Turismo e experiência no exercício de cargos de direcção superior em organismos com atribuições de inspecção, fiscalização e auditoria, bem como na definição e avaliação das políticas de qualificação e desenvolvimento das infra-estruturas turísticas, acompanhamento da evolução e desenvolvimento da oferta turística nacional e promoção de uma política adequada de ordenamento turístico e de estruturação e qualificação da oferta e do destino Portugal.

São igualmente valorizadas experiências de direcção e coordenação em organismos com funções inspectivas e, em especial, experiência na estruturação de procedimentos a nível da acção inspectiva e definição de metodologias de actuação e estruturação de um sistema de controlo, regulação, monitorização e fiscalização dos jogos e apostas, incluindo a prevenção e punição de práticas ilícitas.

Outras experiências profissionais valorizadas são as de coordenação da assessoria jurídica e do contencioso em diversas áreas do Direito e funções de representação, a nível nacional e internacional, nomeadamente em instâncias comunitárias. A remuneração prevista para o cargo de vice-presidente do TP é de 4.496,60€ + 1.349,40€ (Despesas de Representação).

Já para os cargos de vogal, a formação preferencial é, num dos casos, Direito, e no outro Gestão de Empresas. A remuneração prevista, em qualquer dos casos, é de 4.204,20€ + 1.261,30€ (Despesas de Representação).

Recorde-se que a presidência do Turismo de Portugal é assegurada, em regime de substituição, por Luís Araújo, desde Fevereiro deste ano, data em que se demitiu o anterior presidente, João Cotrim de Figueiredo, escolhido pelo ex-secretário-de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, com base na short list apresentada pelo CReSAP,

Até ocupar este cargo, Luís Araújo era administrador do Grupo Pestana com responsabilidades nas áreas de Recursos Humanos, Comunicação e Marketing, TI e Compras, bem como pela área de novos projectos do Grupo Pestana na América do Sul.