Açores limitam acesso a algumas áreas protegidas

Os Açores começaram a 1 de Julho a estabelecer limites de carga em determinadas áreas protegidas, permitindo uma gestão de qualidade nas zonas mais sensíveis e a monitorização da sua utilização em prol de uma “conservação activa do património natural, que não exclui a sua fruição”.

De acordo Hernâni Jorge, director-geral do Ambiente, citado pela imprensa local, o regulamento contempla a obrigatoriedade de acompanhamento por um Guia de Parques Naturais e a criação de uma taxa de conservação da natureza a pagar pelos visitantes.

O Vulcão dos Capelinhos, por exemplo, terá um limite máximo de 80 visitantes diários, de acordo com o regulamento publicado.

Também na ilha do Faial, foi alterado o regulamento de acesso à Reserva Natural da Caldeira, introduzindo a obrigatoriedade de as descidas serem acompanhadas por um guia com formação específica, concretamente de Guia da Caldeira do Faial, estabelecida uma capacidade de carga máxima diária de 40 visitantes e a aplicação da referida taxa de conservação da natureza.

Duas portarias também já criadas regulam acesso ao Ilhéu da Praia, na ilha Graciosa, e ao Ilhéu de Vila Franca do Campo, em São Miguel. Em ambos os casos, o acesso está sujeito ao pagamento da taxa de conservação da natureza, excepto se o visitante for residente nos Açores.

O regulamento de acesso ao Ilhéu da Praia define um trilho de visitação na parte Leste e restringe as visitas ao período entre 1 de Julho e 15 de Abril, com um máximo diário de 20 visitantes, 2 dias por semana, até 15 de Novembro, e 5 dias por semana, no período de 16 de Novembro e 15 de Abril, com os grupos serem obrigatoriamente acompanhados por um Guia de Parques Naturais e um Vigilante da Natureza.

Relativamente ao Ilhéu de Vila Franca do Campo, o regulamento de acesso estabelece um limite diário de 400 pessoas, com um máximo de 200 visitantes em simultâneo, durante a época balnear, até 14 de Outubro, possibilitando ainda, no período de 15 de Outubro a 15 de Abril, a realização de visitas à área protegida, obrigatoriamente acompanhadas por um Guia de Parques Naturais, com o limite de 160 pessoas por dia, sendo o máximo de 40 visitantes em simultâneo.

Refira-se que este ano já foi implementado um novo modelo de gestão no Monumento Natural da Caldeira Velha, foram publicadas alterações ao Regulamento de Acesso à Reserva Natural da Montanha do Pico e foi publicado um novo regulamento de circulação de veículos motorizados nos arruamentos da fajã da Caldeira de Santo Cristo e no troço do trilho entre as fajãs dos Cubres e da Caldeira de Santo Cristo, em São Jorge.