Açores: Turistas satisfeitos recomendam o destino

Os turistas que visitaram os Açores no Verão do ano passado ficaram satisfeitos com a região e a grande quer voltar e recomenda o destino. Estas algumas das conclusões da análise do Inquérito à Satisfação do Turista que Visita os Açores: Verão IATA 2015, efectuado pelo Observatório do Turismo dos Açores.

Estrangeiros e portugueses andam mais ou menos equilibrados em termos do número de turistas que demanda os Açores, embora os estrangeiros fiquem um pouco acima com 55,8% (contra 44,2% de portugueses) dos quais mais de 20% são alemães.

Com 25% dos turistas a ter entre 45 e 54 anos e mais de 31% a ter profissão liberal e quase 47% a ter curso superior, a maioria é casada, viaja a dois (mais de metade dos inquiridos) e escolhe como alojamento hotéis de quatro estrelas em regime de pequeno-almoço em praticamente todas as ilhas, à excepção do Pico onde as unidades de turismo rural são as mais escolhidas.

O estudo indica que mais de 92% procura os Açores em viagem de lazer e planeada com antecipação, com cerca de 40% a comprar a deslocação em agências de viagens ou operadores turísticos tradicionais. Mesmo assim, 61% dos turistas inquiridos reservou a viagem através de canais online, sendo que 37% o fez em agências e operadores online.

Aos Açores chegam principalmente em voo regular (43%) e vêm pela primeira vez (+de 85%) foram principalmente por via da recomendação de familiares ou amigos, muito embora não se tenha tratado da primeira escolha – neste caso, Madeira, Canárias e ilhas gregas são os destinos mais percebidos como concorrentes dos Açores.

O facto é que, estando nos Açores, os turistas gostam, querem voltar e recomendam. Segundo os resultados do inquérito, para mais de 66% recomendar a visita à região é “muito provável” e para mais de 30% é mesmo “bastante provável”, com mais de 71% dos inquiridos a afirmar que deseja voltar.

Com 65% dos inquiridos a afirmar que o destino apresenta o “preço justo”, a grande maioria dos inquiridos classifica a sua experiencia por terras açorianas como “melhor” e “muito melhor” que o que tinham previsto. Por isso se assumem como “satisfeitos”, sendo que numa escala de 1 a 5, o ponto mais baixo coube aos “transportes e mobilidade” (único item a ficar abaixo dos 4 pontos, ficando-se pelos 3,7).