Aeroporto de Beja com condições para ter importância no tráfego de passageiros

Numa organização da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo, ESDIME e TACV realizou-se no último sábado, em Ferreira do Alentejo, no âmbito da Feira Nacional da Água e do Regadio, o colóquio ?Aeroporto de Beja ? desafios da cooperação descentralizada Baixo Alentejo ? Cabo Verde? com o objectivo de analisar as potencialidades daquela infra-estrutura aeroportuária como plataforma de passageiros e porta de entrada de turistas. O debate sobre as potencialidades do Aeroporto de Beja ao nível do transporte de passageiros é, como sublinhou na abertura do colóquio, o presidente da Câmara de Ferreira do Alentejo, Aníbal Reis Costa, fundamental para toda a região do Baixo Alentejo pelos ganhos que pode acarretar em matéria de fluxos turísticos. Por isso, segundo o autarca, continua a existir uma grande expectativa relativamente a esta infra-estrutura. O autarca, que disse acreditar que o aeroporto e Beja tem todas as condições para se poder afirmar no panorama nacional, avançou igualmente estar crente em que esta infra-estrutura se irá afirmar por ela própria. Ao encontro das opiniões manifestadas pelo autarca de Ferreira do Alentejo foi a intervenção de Mário de Almeida, delegado dos TACV para Portugal e Espanha. Segundo o representante da companhia aérea cabo-verdiana no nosso país, este aeroporto, a que chamou ?do Alentejo? e não de Beja, tem todas as condições para, em poucos anos, ser muito importante na área do transporte de passageiros. Para que isso se torne realidade há no entanto ainda um caminho a percorrer, o qual seria mais fácil, aventou Mário de Almeida, se o Aeroporto de Beja tivesse uma gestão independente, ou seja, se não dependesse do Estado. O colóquio contou ainda com a participação de Bruno Solas, director comercial do Grupo Oásis Atlântico Hotels & Resorts e Eduardo Pinto Lopes, CEO do operador turístico EGO Travel, entre outros.

(Visited 7 times, 1 visits today)