Aeroportos europeus preocupados com o pré-Brexit

A indústria aeroportuária europeia, representada pala ACI Europe, está preocupada com o vazio legal se não existir um acordo pré-Brexit, por isso, pedem ao Reino Unido que defina uma posição em relação à aviação, com vista a proteger a conectividade.

Assim, reclamam com urgência uma posição detalhada e completa sobre o Brexit para a aviação, que permita ao país salvaguardar e desenvolver a sua conectividade aérea com a União Europeia, reconhecendo que é uma pedra fundamental para a sua prosperidade.

A ACI Europe alerta ainda que a ausência de um acordo sobre a transição ou o futuro regime coloca a aviação num vazio jurídico, o que se não for abordado poderá significar que não haverá voos entre o Reino Unido e a União Europeia.

Os aeroportos europeus voltam a lançar uma advertência sobre o Brexit e o seu possível impacto no transporte aéreo na Europa, na conectividade aérea e na economia em geral, durante uma audiência pública sobre esta matéria, na Comissão de Transportes e Turismo do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

A saída do Reino Unido do bloco europeu, e no caso da aviação comercial, vai ter múltiplas consequências – na propriedade das companhias, nas suas operações e rotas, mas principalmente na conectividade aérea da União Europeia e Grã-Bretanha. Neste sentido, os aeroportos europeus consideram que “a melhor opção seria manter-se no mercado único europeu da aviação”.

A ACi Europe, capítulo europeu do Conselho Internacional de Aeroportos, representa mais de 500 aeroportos em 45 países europeus, que geram 12,3 milhões  de empregos e 675 milhóes de euros por ano (4,1%) do PIB na Europa.