AHETA: Março sem Páscoa motivou perdas no Algarve

Ocupação em quebra de 1,4% e volume de negócios 1,3% abaixo do verificado no mês homólogo de 2016, marcaram este ano o Março algarvio. A AHETA justifica o recuo nestes indicadores com o facto de a Páscoa ter ocorrido, em 2016, no mês de Março.

Dados divulgados esta quinta-feira pela AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, dão conta de um recuo de 1,4% na taxa de ocupação global média/quarto em Março, face ao mês homólogo do ano passado, situando-se nos 54,2%.

As principais descidas ocorreram no mercado português (-2,2pp), no espanhol (-1,7pp) e no holandês (-1,2pp). A contrariar os resultados negativos estiveram, principalmente, os mercados alemão (+1,6pp), e o francês (+0,7pp).

Por zonas geográficas as maiores subidas ocorreram em Tavira (+9,5pp) e Faro / Olhão (+3,4pp), com as principais descidas a verificaram-se em Vilamoura / Quarteira / Quinta do Lago (-9,1pp) e Albufeira (-3,3pp).

O volume de vendas também apresentou uma descida homóloga, com -1,3% durante o mês em análise.

“O facto de a Páscoa ter sido, em 2016, no mês de Março, contribuiu para a diminuição das variações homólogas”, explica a AHETA que sublinha que “ em termos acumulados, desde o início do ano, a taxa de ocupação quarto regista uma subida de 4,4%” face ao período homólogo do ano passado.