AHETA preocupada com reflexos do Brexit no turismo algarvio

Em comunicado, a AHETA lamenta a saída do Reino Unido da União Europeia e revela “preocupação face à instabilidade financeira criada na sequência do Brexit”, nomeadamente no que se refere ao impacto que esta pode ter nos resultados turísticos da região nos tempos mais próximos.

No dia em que o mundo ficou a saber que o Reino Unido vai sair da União Europeia, a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve vem lembrar a importância do mercado britânico para o turismo algarvio – um mercado que considera “estratégico” e “prioritário” e que este ano apresenta já um crescimento acumulado de 19% face ao ano passado.

“O mercado britânico é, desde sempre, o principal fornecedor de turistas estrangeiros do Algarve”, sendo, por via disso, “um mercado estratégico e prioritário do turismo da região”, afirma a AHETA, lembrando que o Reino Unido “é responsável por cerca de 1,8 milhões de passageiros desembarcados, anualmente, no aeroporto de Faro, mais de 54% do total”, representa “mais de 33% das dormidas totais do Algarve (5,75 milhões) e é dos mercados com maior estada média (5,8 dias, quando a estada média global é de 4,9).

São números que reflectem a forte dependência do turismo algarvio relativamente ao mercado do Reino Unido e que levam a AHETA a considerar que “eventuais convulsões económicas e sociais” naquela país irão “reflectir-se negativamente e de forma muito profunda nos resultados turísticos e empresariais da região em particular e do nosso País em geral”.

Por via disso a AHETA dá conta da preocupação face às implicações que o Brexit pode ter nos resultados turísticos da região nos tempos mais próximos: “a AHETA, enquanto legítima representante dos empresários hoteleiros e turísticos do Algarve, não esconde a sua preocupação face à instabilidade financeira criada na sequência do Brexit e, sobretudo, das implicações que a mesma pode vir a ter nos resultados turísticos da região nos tempos mais próximos”, lê-se no comunicado emitido.