AHP: 2017 foi o melhor ano de sempre para a hotelaria

Ao nível dos indicadores operacionais, 2017 foi o melhor ano de sempre para a hotelaria em Portugal. Ao nível da taxa de ocupação média foram atingidos, a nível nacional, os 71%, valor que a Associação da Hotelaria de Portugal considera “histórico”.

Subidas na ocupação, no preço médio e no RevPar, aumentos que se registaram ao longo de todo o ano e não apenas na época alta e que foram transversais a todas as regiões turísticas do país. Este é o resumo do retrato que o AHP Tourism Monitor faz do desempenho da hotelaria o ano passado. De acordo com os resultados apresentados pela presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, “2017 foi o melhor ano de sempre nos indicadores operacionais, com a taxa de ocupação a registar um resultado histórico e com o RevPar a crescer a dois dígitos”, demonstrando assim que “o preço acompanhou a procura”.

A taxa de ocupação a nível nacional atingiu os 71%, mais 3 p.p. do que no ano de 2016, com a Madeira a registar, uma vez mais, a taxa de ocupação mais elevada, com 83%, seguindo-se Lisboa e Porto, com 80% e 76%, respectivamente.

O ARR atingiu os 88€ a nível nacional, + 10% que no ano anterior, com Lisboa a registar o preço médio mais elevado com 107€, e também a maior variação homóloga com mais 14%. O Algarve fixou-se nos 100€ (+ 8%) e Estoril/Sintra nos 90€. O RevPar nacional situou-se nos 63€, + 15% que em 2016. Também aqui Lisboa lidera com 85€, seguindo-se o Algarve com 66€ e Porto com 63€. “Crescemos pelo preço e não pela ocupação”, frisou Cristina Siza Vieira.

Menos positivo é o indicador referente à estada média, que se situou em 1,97 dias e que, segundo Cristina Siza Vieira “tem muito para crescer”.