AHP apresentou click2portugal: plataforma vai estar aberta a todas as unidades hoteleiras

Como sublinhou o presidente da AHP, Raul Martins, “quem não está online não está no mundo”. Porque são muitas as unidades hoteleiras que apresentam fragilidades ao nível do digital, a AHP vai lançar, no último trimestre deste ano, a click2portugal.com, uma plataforma agregadora da oferta hoteleira nacional que, segundo a associação, vai dar ao consumidor “as vantagens de uma reserva directa”.

~ 

A Associação da Hotelaria de Portugal apresentou à imprensa esta quarta-feira, 16 de Maio, a click2portugal (www.click2portugal.com), uma “plataforma agregadora da oferta hoteleira nacional que permite ao futuro hóspede reservar com as vantagens de uma reserva directa”. Tecnicamente já finalizada, a plataforma apenas irá ser aberta ao consumidor final no último trimestre deste ano, altura a partir da qual ficará acessível de forma directa mas também através do site do www.visitportugal.com. “O Turismo de Portugal é um parceiro estratégico” desta plataforma, sublinhou Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP que anunciou que o Turismo de Portugal “já deu luz verde” para que o visitportugal tenha uma hiperligação que vai redireccionar o internauta para o click2portugal.

Suprir as fragilidades das unidades hoteleiras nacionais no digital, identificadas através de um estudo elaborado há um ano (em Maio de 2017) pela AHP é um dos principais objectivos da plataforma. Segundo este estudo, dos 1.511 estabelecimentos hoteleiros que existiam no país, 7% não tinham site (105 unidades) e dos 1.406 que tinham página web, 30% não possuíam motor de reservas. Por outro lado, 17% dos sites não tinham tradução para inglês, percentagem que subia para 71% quando se tratava da língua alemã; 8% não tinha fotografias da unidade – fragilidades mais vincadas no Norte, Centro e Alentejo.

Proporcionar skills aos hotéis no que toca ao digital e, com isso, proporcionar mais receitas, é também o objectivo da click2portugal, uma plataforma que não pode ser confundida com uma booking, uma vez que através da plataforma da AHP o consumidor é redireccionado para o site da própria unidade hoteleira e será aí que irá fazer a sua reserva. “Mais do que dar o peixe ou ensinar a pescar, é preciso dar a cana de pesca aos hotéis”, comentou Cristina Siza Vieira. Por outro lado, ao contrário desse tipo de plataformas, a click2portugal também não vai cobrar fees sobre as reservas.

Na click2portugal, as unidades hoteleiras vão aparecer segmentadas: por região, por tipologia, categoria, até por experiência.

Co-financiado em um milhão de euros pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, e desenvolvido pela Guestcentric, o motor de reservas click2portugal permite a integração com outros sistemas, sem custos acrescidos, com a plataforma a incluir a classificação dos hotéis através de um sistema de rating da ReviewPro, que agrega as avaliações de 175 websites.