AHP diz que cancelamentos devido à greve da TAP já são uma realidade

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) está preocupada com os efeitos que o pré-anúncio de greve na TAP já está a ter no turismo nacional, alertando que “o efeito económico dos cancelamentos nos hotéis já é uma realidade”. “Esta pressão negativa no sector do Turismo, em geral, e no sector hoteleiro, em particular, é gravíssima. Somos o maior sector exportador de serviços nacional e o efeito económico dos cancelamentos nos hotéis já é uma realidade”, afirma Miguel Júdice, presidente da AHP. De acordo com Miguel Júdice, “estas greves no sector dos transportes paralisam a economia do país”, defendendo por isso que uma alteração à Lei da Greve é fundamental para que o país não fique refém de “um direito constitucional que se sobrepõe à evolução que o mundo sofreu”. “É imprescindível abrir um tema “tabu”: a alteração da Lei da Greve. Não podemos ficar “reféns” de uma lógica passada de defesa de um direito constitucional que se sobrepõe à evolução que o mundo sofreu. O direito à greve é um direito que assiste a todos, mas neste caso questiona-se a sua legitimidade, mais ainda quando serve um grupo de interesses que se arroga de direitos especiais”, considera Miguel Júdice. A concluir e em jeito de apelo ao diálogo, o presidente da AHP diz que a “conjuntura económica do país pede sensibilidade e bom senso” e considera que “a hotelaria e o turismo, que são fundamentais para a recuperação da economia nacional, devem ser defendidos por todos”. I.M.