AHP contra exploração do petróleo e gás no Alentejo e Algarve

A AHP – Associação de Hotelaria de Portugal manifestou a sua contestação à concessão de licença de perfuração de petróleo e gás a realizar na bacia do Alentejo, com forte impacto não só na costa alentejana como no Algarve.

Dada à situação, que considera de “gravidade”, a AHP emitiu parecer no curtíssimo prazo concedido no âmbito da consulta pública para atribuição de licença de sondagem de pesquisa no deep offshore da bacia do Alentejo e tem já reuniões agendadas tanto com o secretário de Estado da Energia como com a secretária de Estado do Turismo, enquanto irá também solicitar uma audiência com a máxima urgência junto do Ministro da Economia.

Para Raul Martins, presidente da AHP, citado em comunicado, “no mesmo território não podem coabitar turismo sustentável e exploração petrolífera”, daí ser necessário “definir prioridades para o país”, referindo que, se do ponto de vista económico existem razões para levar a cabo tal exploração/prospecção, a mesma “inviabiliza uma outra actividade de enorme importância para Portugal, como é, reconhecidamente, o Turismo”.

A AHP recorda a forte aposta que tem vindo a ser realizada na promoção internacional do destino assente na sustentabilidade; de destino para famílias; de Sol e Mar a par de segmentos de turismo de natureza e de desporto, e os esforços em encontrar alternativas à sazonalidade trabalhando fora da época alta com outros mercados emissores e esses exigentes segmentos, sem esquecer os grandes investimentos que os promotores estão a fazer na promoção e afirmação do Algarve e Alentejo como turismo de natureza de que são bom exemplo inúmeros projectos como o cicloturismo, o trekking, o surf ou bird watching, entre outros.

A tornar-se uma realidade, para a associação hoteleira, a simples prospecção e pesquisa de petróleo trará danos para a imagem do País, comprometendo estes esforços e investimentos públicos e privados.

(Visited 5 times, 1 visits today)