AHP junta-se à ENA para promover a eficiência energética na hotelaria

A Associação da Hotelaria de Portugal e a ENA – Agência de Energia e Ambiente da Arrábida uniram esforços num projecto que visa a melhoria da eficiência energética no consumo de electricidade na indústria hoteleira. Projecto que foi apresentado na tarde desta quarta-feira, em Lisboa.

O projecto “Por um Turismo Sustentável” é uma iniciativa conjunta da AHP e da ENA –, e financiada pela ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos. Iniciou em Março de 2017 com a assinatura de um acordo entre as duas entidades, mas arrancou em pleno no início de 2019, permitindo um ano de análise dos 20 hotéis que aderiram à plataforma, em que foram avaliadas as actividades desenvolvidas nas unidades e o seu consumo energético.

“A intenção era podermos acompanhar a performance destes hotéis, medir e perceber onde estavam os equipamentos e comportamentos que podem ser alterados de forma a melhorarmos a performance destes hotéis”, esclarece Cristina Siza Vieira, CEO da AHP. A dirigente avança também que os dados recolhidos funcionam como padrão de referência para que as unidades possam avaliar o seu desempenho, mas também partilhar essa informação com terceiros.

A partir, precisamente, desta quarta-feira, 29 de Janeiro, qualquer empreendimento turístico a nível nacional pode requisitar o acesso a esta plataforma de gestão de energia, através da AHP. Para Siza Vieira, “isto tem tudo a ver com a agenda que hoje se discute e em particular com a agenda da AHP”. Falava das metas delineadas no âmbito do Acordo de Paris e do compromisso assumido pela AHP há cinco anos com o Programa HOSPES, o programa corporativo de responsabilidade social e sustentabilidade ambiental da Associação.

“É destes pequenos casos que se faz, também, o grande caso da sustentabilidade na hotelaria”, concluía a CEO da AHP, ao falar do efeito de mancha que é possível obter através da indução de comportamentos junto dos turistas, extravasando os colaboradores das unidades hoteleiras. Já Sérgio Marcelino, presidente do Conselho de Administração da ENA, desafiava os 800 associados da AHP a se juntarem a esta plataforma de gestão de energia, que agora se abre a todos.

O projecto consiste, sobretudo, na análise e futura redução de consumos por meio de alteração de comportamentos e equipamentos. Assim, ao longo do ano de 2019 foi feita a monitorização dos consumos, da operação das unidades hoteleiras e do plano de acção que estas haviam delineado para a melhoria da sua eficiência energética. Foram analisados os 20 hotéis, que reuniram um total de 1.051.982 hóspedes no seu conjunto de 1.614 quartos.

Concluiu-se que o consumo de energia nesta actividade económica se centra essencialmente na energia eléctrica (64% do total). Com um consumo total anual de 31,8 GWh, o consumo anual da electricidade fica-se pelos 20,2 GWh, o que ascende a um custo de 2.763.417,56€, sendo que o custo médio diário com energia por unidade hoteleira é de cerca de 380€. Concluiu-se, também, que os principais consumidores de energia nestes 20 hotéis são o chiller e os sistemas de bombagem.

Da análise feita, prevê-se que um investimento de cerca de um milhão de euros possa promover uma redução do consumo em cada hotel de 4 GWh, ou seja, cerca de 12% do total da energia consumida. Ao adoptarem as oportunidades de melhoria identificadas no decorrer deste projecto, as unidades hoteleiras poderiam beneficiar de uma redução anual dos encargos com energia de 412.988,15€.

Os 20 hotéis que participaram neste projecto desde o início, situados na região de Lisboa e Setúbal, são o Luna Esperança Centro Hotel, Hotel do Chiado, Montado Hotel & Golf Resort, Hotel Casa Palmela, Hotel Real Oeiras, Occidental Lisboa, SANA Sesimbra Hotel, Estoril Eden, Novotel Setúbal, Hotel Real Palácio, Hotel do Mar, Grande Real Villa Itália Hotel & Spa, Eleven School Hotel, Lisboa Pessoa Hotel, The Vintage Hotel & Spa, Sesimbra Hotel & Spa, Lux Lisboa Park Hotel, Hotel do Sado Business & Nature, Ibis Style Lisboa Centro Liberdade, e Villa 3 Caparica.