AHP: Primeiro trimestre positivo para hotelaria nacional

Os primeiros três meses do ano foram positivos para a hotelaria nacional com a taxa de ocupação, preço médio, RevPAR e receita média a registaram subidas bastante significativas, confirmam dados da AHP Monitor. O único indicador que registou descida foi a estada média, tendo-se verificado um decréscimo de 1,6% face ao ano anterior.

No primeiro trimestre deste ano a taxa de ocupação quarto foi de 50,7%, mais 3,93 p.p. que no período homólogo. O preço médio por quarto ocupado foi de 63,9 euros, mais 7% face a 2015.O RevPAR atingiu os 32,4 euros no período em análise, o que representa um aumento de 16,2% em comparação com 2015.A receita média por turista no hotel atingiu o montante de 96 euros, mais 4,4% do que no mesmo período do ano anterior.

No primeiro trimestre do ano, as dormidas de estrangeiros representaram 65% do total e as dormidas nacionais 35%. Em termos de hóspedes, 49% foram nacionais e 51% foram estrangeiros.

A principal motivação das dormidas, de acordo com a AHP Monitor foi “lazer, recreio e férias” com 70%. As dormidas de “negócios/profissionais” representaram 19% e outros motivos 11%.

Relativamente ao número de dormidas internacionais a liderança coube ao Reino Unido (12%), seguido da Alemanha (11%), Espanha (7%) e França (5%).

As agências/tour operadores foram o principal canal de distribuição de dormidas nos hotéis nacionais com um peso de 30% seguido do direto com 24%.

Referindo-se apenas ao mês de Março, a taxa de ocupação da hotelaria nacional situou-se nos 62,6%, o que representa um aumento de 8,15 p.p. face ao período homólogo do ano anterior. Registaram-se subidas em todas as categorias e o destaque é para as duas estrelas, onde a variação foi de mais 11,46 p.p. do que em março de 2015.

No mesmo mês, o preço médio por quarto ocupado subiu 10,5% (fixou-se em 66,8 euros) e o RevPAR – preço médio por quarto disponível- aumentou 27% (fixou-se em 41,8 euros). Em relação a este indicador o destaque são as cinco estrelas onde a variação foi de mais 9,4% face ao mesmo período de 2015.

Os destinos turísticos com a taxa de ocupação quarto mais elevada foram Madeira (81,3%), Lisboa (72,6%) e Grande Porto (61,7%).

O preço médio por quarto ocupado subiu 10,5% (fixou-se em 66,8 euros) e o RevPAR – preço médio por quarto disponível – aumentou 27% (fixou-se em 41,8 euros).

A receita média por turista no hotel foi de 97 euros (mais 3,2% do que em Março de 2015) e a estada média de 1,84 dias, inferior em 3,2% em comparação com o período homólogo.

Os destinos turísticos com o RevPAR mais elevado foram Lisboa (60,5 euros), Madeira (56,9 euros) e Grande Porto (40,6 euros).