AHP: Todos os indicadores sobem em Setembro, excepto estadia média

Em Setembro a taxa de ocupação (TO) por quarto na hotelaria atingiu os 85,36%, uma subida de 2,76 p.p. face ao mesmo período do ano anterior, de acordo com o AHP Tourism Monitor. Todos os indicadores sobem, excepto a estadia média.

No que respeita ainda à taxa de ocupação por quarto, o estudo indica que todas as categorias de hotéis registaram aumento, com destaque para as unidades de duas estrelas, com uma variação de mais 4,41 p.p. face a Setembro de 2014, enquanto os destinos turísticos com a TO quarto mais elevada foram Grande Porto (93,38%), Lisboa (92,15%), Madeira (89,88%) e Algarve (86,65%).

No mesmo período, o preço médio por quarto ocupado subiu 12,44%, tendo-se fixado em 82,09 euros) e o RevPar – preço médio por quarto disponível aumentou 16,33%, chegando aos 70,16 euros. Os destinos turísticos com o RevPar mais elevado foram Lisboa (93,91 euros), Estoril/Sintra (77,94 euros) e Algarve (76,27 euros).

Por sua vez, a receita média por turista foi em Setembro de 114 euros (mais 8,57% face ao período homólogo de 2014) e a estadia média foi de 1,89 dias, correspondendo a um decréscimo de 1,05% face ao verificado no período homólogo. A receita total por quarto disponível (TrevPar) foi de 99,16 euros, representando um aumento de 13,72% em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

No acumulado de Janeiro a Setembro de 2015, o AHP Tourism Monitor revela que a taxa de ocupação quarto foi de 68,13%, mais 2,82 p.p. do que no período homólogo anterior, enquanto o preço médio por quarto ocupado atingiu os 77,18 euros, mais 10,41% do que em 2014. O O RevPar subiu 15,18% e chegou aos 52,58 euros no período de Janeiro a Setembro deste ano, ao mesmo tempo que a receita média por turista no hotel por mês atingiu o montante de 107 euros, mais 7% do que verificado no período de Janeiro a Setembro de 2014. Também no acumulado, a estadia média situou-se nos 1,93 dias, menos 0,52% do que no período homólogo anterior, e a receita total por quarto disponível (TrevPar) foi de 75,15 euros, valor que representa um aumento de 12,50%.

Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, comenta estes resultados, destacando o facto de o Grande Porto liderar na TO pela primeira vez, registando um crescimento de 5,38 p.p., e com a maior subida homóloga no RevPar (29,65%) que fechou muito perto dos 70 euros. “Estes dados vêm comprovar a boa performance e o crescimento evidente a que temos assistido neste destino”afirmou.