AHRESP exige revogação da Portaria dos Galheteiros

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) exige ao Governo a revogação da Portaria 24/2005, referente à proibição da utilização dos tradicionais galheteiros de azeite nos estabelecimentos de restauração, depois de a União Europeia ter recuado na proposta que pretendia alargar a medida a todos os países membros. ?Portugal, em detrimento do bom senso agora demonstrado pela União Europeia, foi o único país do mundo a criar esta vergonhosa legislação, gerando um custo de contexto desnecessário às nossas empresas?, refere a AHRESP, que alega ?prejuízos incalculáveis? devido aos aumentos de mais de 250% neste produto essencial na gastronomia portuguesa. Na opinião da AHRESP, a Portaria dos Galheteiros apenas beneficiou os intermediários do negócio do azeite, tendo os estabelecimentos, produtores de azeite e o próprio ambiente sido os maiores lesados com esta legislação, que a associação considera ?desastrosa?, exigindo a revogação da mesma. ?Em contrapartida gostaríamos de ver implementada a Directiva 2009/47/CE do Conselho Europeu, que há mais de 4 anos recomenda a Portugal que aplique a taxa reduzida de IVA na Restauração, sector de forte intensidade de mão-de-obra, como forma a proteger o emprego, e combater a economia paralela?, conclui a associação em comunicado. I.M.