AHRESP lança Rede de Restaurantes Portugueses no Mundo

A AHRESP lançou esta sexta-feira a “Rede de Restaurantes Portugueses no Mundo” em cerimónia presidida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros. O programa da Associação, que visa a promoção da gastronomia portuguesa e quer ser um estímulo à internacionalização das empresas através da exportação de produtos portugueses certificados, vai ser implementado, em Maio de 2018, em cinco países: Brasil, Espanha, França, Alemanha e Inglaterra.

©AHRESP/Nuno Martinho

Através do programa “Rede de Restaurantes Portugueses no Mundo”, a AHRESP – Associação da Hotelaria, Restaurantes e Similares de Portugal, pretende identificar os restaurantes portugueses no estrangeiro que sejam representativos da verdadeira gastronomia portuguesa e que através dela “desempenham um papel importante na divulgação do destino Portugal”. Trata-se, pois, acima de tudo, de promover internacionalmente a gastronomia portuguesa, parte integrante do Património Nacional, e de, através da sua divulgação, divulgar o destino Portugal tendo em conta que a gastronomia integra o Top 5 das preferências dos turistas que visitam o nosso país. Outro desejo expresso pela Associação é o de que este programa contribua para reconhecer, apoiar e valorizar “os milhares de empresários e estabelecimentos que promovem e dignificam, não só o nosso Património Gastronómico, e os nossos Produtos Alimentares Certificados, bem como sejam um factor de coesão e promoção social, económica e de prestígio, das comunidades portuguesas no estrangeiro”, sublinhou José Manuel Esteves, director-geral da AHRESP.

O levantamento dos restaurantes, do receituário e dos produtos portugueses certificados, está a ser feito desde Maio do ano passado e em Maio de 2018 todo este trabalho culminará com o lançamento do projecto e a instalação da rede em cinco países que a AHRESP considerou prioritários: “o Brasil pela sua condição na nossa história e na lusofonia, e a Espanha, a França, a Inglaterra e a Alemanha, pela relevância que têm como países de origem da nossa procura turística”.

José Manuel Esteves explicou ao Turisver.com que, nestes cinco países, a rede irá contar de início com 75 restaurantes que um total de “cerca de 500 que se inscreveram voluntariamente através de todos os parceiros do programa”. Evidentemente, não vai bastar que um restaurante se inscreva para que possa passar a ostentar, na porta, o logótipo da Rede de Restaurantes Portugueses no Mundo e, no seu interior, o respectivo diploma. Porque se trata de promover a Gastronomia Património Nacional e os produtos genuínos que lhe estão na base, caberá à AHRESP decidir se o estabelecimento é ou não digno de entrar na rede. “Vamos visitar todos os restaurantes, um a um, ouvir as suas dificuldades e sugestões, facilitar as suas cadeias de abastecimento, ajudá-los a requalificar as suas instalações, equipamentos, e os seus serviços e receituários”, explicou-nos José Manuel Esteves, avançando que estão já a ser pensados apoios e incentivos para estabelecimentos que necessitem e desejem requalificar-se para assim poderem integrar a rede.

Só depois de reconhecida a sua qualidade é que serão entregues aos restaurantes “os respectivos Galardões” compostos por “uma Placa de Identificação e um Certificado de Reconhecimento” além de várias ferramentas de trabalho, como será o caso da “Plataforma Gastronómica, onde tudo vai acontecer, através do uso das novas tecnologias”.

Para que este programa pudesse ver a luz do dia não bastava o querer da AHRESP, por isso a Associação buscou apoios e consegui-os, nomeadamente junto do Governo. Em torno do projecto da “Rede de Restaurantes Portugueses no Mundo” juntaram-se, assim, várias vontades, nomeadamente o Ministério dos Negócios Estrangeiros, a AICEP, o Turismo de Portugal e a Federação Portuguesa das Associações de Desenvolvimento Local – Minha Terra, que esta sexta-feira assinaram o protocolo com a AHRESP.

Fotos: ©AHRESP/Nuno Martinho