AHRESP preocupada com fiscalidade no alojamento local

Em nota à imprensa, a AHRESP afirma que tem estado em “permanente diálogo com a Secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais” no sentido de discutir “soluções fiscais equilibradas para o alojamento local”.

Em causa estão as noticias que têm vindo a público sobre a eventual alteração do nível de tributação aplicável a esta actividade.

Para Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP, “é fundamental entender as diferenças entre o arrendamento urbano e a oferta de alojamento local” já que “um apartamento é diferente de uma moradia, e uma moradia é diferente de um estabelecimento de hospedagem e dentro destes o Hostel. Assim, sublinha a responsável, a preocupação da AHRESP “vai no sentido de encontrar soluções equilibradas para os diferentes produtos de forma a não provocar distorções no mercado, nem travar o crescimento deste segmento que se tem revelado tão importante ao desenvolvimento da actividade turística e da regeneração do edificado urbano”.

A Associação informa, no mesmo comunicado, que tem em curso um inquérito com vista ao levantamento exaustivo de informação sobre os estabelecimentos de alojamento local, que inclui o perfil das respectivas empresas, empresários e hóspedes e respectiva análise das componentes da oferta e da procura. Os primeiros dados deverão ser conhecidos em breve.

Paralelamente, a AHRESP lançou o Programa QUALITY como forma de responder em tempo útil à dinâmica de crescimento do alojamento local, “garantir os padrões de qualidade exigidos a estas novas realidades de alojamento e contribuir para o esforço nacional de transparência fiscal e concorrência leal, bem como da promoção e projecção internacional do destino Portugal (www.quality.ahresp.com)”.