AHRESP quer reduzir preço do transporte aéreo nos Açores para salvar turismo

O delegado da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) em Ponta Delgada, Nuno Oliveira, defendeu na semana passada a redução do preço das tarifas aéreas para aliviar o impacto da diminuição da procura na actividade turística na região, cuja quebra atinge já os 60%. De acordo com Nuno Oliveira, o consumo nos Açores “diminuiu muito, registando-se uma quebra até 60 por cento, em relação ao ano passado, e a tendência é para piorar porque não há dinheiro”, afirmou o responsável, citado pela imprensa regional. O delegado da AHRESP em Ponta Delgada considera que esta é uma época de grandes dificuldades e defende que a situação apenas deverá melhorar com a chegada de mais turistas ao arquipélago, o que apenas vai acontecer se as tarifas do transporte aéreo baixarem, uma vez que, como criticou Nuno Oliveira, “só do Continente para os Açores uma passagem ronda os 300 euros”. Opinião idêntica tem Artur Lima, presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores, que, à margem de uma reunião com a Delegação dos Açores da AHRESP em Ponta Delgada, considerou que o “Governo tem aqui um papel fundamental de estímulo a este sector de actividade, nomeadamente com uma promoção eficaz, determinada e focalizada no turismo, de modo a captar turistas que venham para os Açores”. I.M.