AHRESP quer reduzir uso de plásticos nos seus estabelecimentos

A campanha “Menos Plástico, Mais Ambiente”, lançada pela AHRESP, abrange todo o território nacional e inclui acções no terreno em várias cidades do país.

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) lançou quinta-feira, dia 24 de Maio, a campanha “Menos Plástico, Mais Ambiente” tendo em vista a redução do uso de artigos de plástico na restauração e hotelaria e a mudança de comportamentos neste sector, com vista à preservação do meio ambiente.

A campanha da AHRESP, que decorre até Outubro, pretende consciencializar a comunidade local para a importância de minimizar os impactos ambientais da utilização do material descartável plástico e motivar, auxiliar e avaliar a mudança de comportamentos do canal HORECA.

As acções previstas incluem o levantamento e o diagnóstico do consumo de plásticos no canal HORECA, a disseminação de informação através de um site e das redes sociais, a presença de brigadas de promotores da iniciativa que farão a recolha de plásticos em alguns dos principais festivais de música do país, feiras e praias, a promoção de passatempos, a realização de um roadshow nacional e uma rede de estabelecimentos de restauração e alojamento que promovam e pratiquem um conjunto de boas práticas em matéria ambiental. No final da campanha, será realizada uma conferência, onde serão avaliados os resultados desta iniciativa e feita a pesagem dos plásticos recolhidos em todo o país.

“Com esta campanha, a AHRESP dá continuidade ao trabalho iniciado com a criação do Guia de Boas Práticas Ambientais desenvolvido em 2011 e do Sistema Verdoreca, ambos pioneiros na Europa”, frisa a Associação.

“É possível sensibilizar empresários, residentes, turistas nacionais e internacionais para esta temática, fomentar a reciclagem, promover a diminuição dos resíduos plásticos e incentivar o investimento e a inovação, através do aumento da procura de materiais recicláveis. Queremos dar um contributo importante no lançamento dos alicerces de uma nova economia para este material, uma economia circular que preserve o ambiente e ajude as empresas a tornaram-se mais competitivas”, afirma Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP.