Airmet facturou 176M€ e cresceu 16% em 2017

Com uma facturação de 176 milhões de euros, o que se traduziu num crescimento de 16% face a 2016, o 2017 confirma-se como o melhor ano de sempre para o Grupo Airmet em Portugal, com uma subida notória ao nível da tour operação, revelou o seu director-geral Paulo Mendes.

Á margem da 15ª Convenção da rede de agências de viagens, que decorreu este fim-de-semana na Figueira da Foz, o responsável disse que o crescimento do grupo “não fugiu à regra em relação ao resto do mercado. Foi um ano bastante positivo, ano de crescimento, com forte destaque na venda antecipada, que está a manter-se este ano. A venda antecipada continua a ser uma forte fonte de receita para as agências de viagens, porque faz com que a sazonalidade do negócio seja muito diluída e permite maior capacidade financeira tendo em conta volume de cahs-flow que vai entrando no início do ano”, referiu, acrescentando que o ano passado em Abril já havia operações esgotadas para o Verão, o mesmo a acontecer este ano, com operações para Agosto já quase esgotadas, o que é um dado positivo”.

De acordo com Paulo Mendes, a nível da tour operação verificou-se um crescimento de 20%, “mas também tivemos mais oferta para vender”, para realçar que “o positivo é que a rede aumentou apenas nove balcões o ano passado, totalizando 279 actualmente, e estou satisfeito porque a média por agência subiu 12%, indicador que nos dá estabilidade”.

A nível de produtos “a aviação continua a ser o produto que vendemos mais, representando 44% do bolo total do nosso volume de negócios, a seguir vem a tour operação com 20%, mas depois temos crescimentos em todas as linhas, como por exemplo os cruzeiros e o rent-a-car”, frisou Paulo Mendes, para indicar ainda que se a aviação teve um aumento de 10% face ao ano anterior, e a hotelaria 22%, verifica-se que “o tailor maid está a crescer na rede, por uma série de factores, e um deles é uma forma de diferenciar o produto perante o cliente e dar mais serviços que na tour operação estão fechados”.

No que diz respeito a produtos, também as vendas da Airmet em Portugal o ano passado não fugiram ao que aconteceu na generalidade do mercado, com as Caraíbas a posicionarem-se no topo do ranking em relação ao longo curso, e Cabo Verde a manter a sua liderança face a destinos de médio curso, e com a Tunísia a crescer. Em Portugal, o destaque vai para o Algarve. A decrescer tem sido o Sul de Espanha “pois a hotelaria espanhola está muito cara”, disse Paulo Mendes.

A 15ª Convenção do Grupo Airmet contou com a participação de cerca de 280 pessoas, entre agências representadas e fornecedores. Para além da discussão de questões que dizem respeito directamente à rede, decorreu um workshop em que os 55 principais fornecedores tiveram a oportunidade de apresentar os seus produtos, teve ainda lugar um debate sobre “Os novos desafios da distribuição turística.