Aldeias do Xisto olham futuro com confiança

A reunião extraordinária do Conselho Geral de Parceiros das Aldeias do Xisto, que decorreu esta quinta-feira em Figueiró dos Vinhos, distrito de Leiria, reafirmou uma grande confiança no futuro. Pedro Machado disse que entre as conclusões está a afirmação de que “não se olhe para este território com miserabilismo”.

Na reunião que juntou, para além dos empresários e parceiros da ADXISTUR (entidade que representa 27 aldeias em 16 concelhos do interior centro do país, cerca de uma dezena localizadas em municípios atingidos pelas chamas), o Turismo de Portugal, Turismo Centro de Portugal e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), foi decidido um conjunto de acções “concretas”, com um calendário “de curto, médio e longo prazo”, disse o presidente da Turismo Centro de Portugal, em declarações à Lusa.

As iniciativas incluem a promoção de visitas ao território das Aldeias do Xisto de alguns operadores turísticos “e não isolar esta região daquilo que é o conjunto da oferta do Centro de Portugal” e medidas para “campanhas imediatas nacionais, sobretudo para o mercado interno alargado ao mercado ibérico e depois, no médio prazo, as políticas ligadas à promoção internacional”, indicou Pedro Machado.

A rede de Aldeias do Xisto quer também ser parceiro na agenda de ordenamento florestal preconizada pelo Governo, nomeadamente sobre zonas de protecção às povoações e “ter opinião sobre a acessibilidade e a mobilidade, ou seja, aquilo que constrói o conjunto do território turístico”, sublinhou o responsável do Turismo Centro de Portugal.

“Sai daqui um clima de grande confiança e uma mensagem de esperança entre todas as entidades e empresas ligadas ao projecto da ADXISTUR [Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias de Xisto] sobre a forma como podemos gerar sinergias para fazer face à tragédia que aconteceu nesta região”.