Alentejo, Centro e Extremadura dão as mãos para chegar mais longe

O Turismo do Alentejo, do Centro de Portugal e da Extremadura espanhola vão estar juntas a promover essas regiões como um todo na ITB China, que vai decorrer entre os dias 16 e 18 de Maio, em Shanghai, no quadro da Comissão de Turismo da Euroregião (EUROACE).

No evento de Shanghai, as três regiões vão estar no stand de Portugal com uma mesa de negócios com material promocional comum e reuniões já agendadas com 20 operadores turísticos chineses, uma vez que entendem que há necessidade de explorar todas as potencialidades de um mercado de viagem mais importante do mundo que é o chinês. Naquele país asiático, que gerou 136 milhões de viagens em 2017 em todo o mundo, não sabem o que é Portugal ou Espanha, fazendo por isso, todo o sentido, “esta promoção conjunta”.

A esta acção seguem-se igualmente uma apresentação sobre gastronomia em Setembro em Bruxelas, e uma iniciativa de promoção conjunta em Outono na Costa Este dos Estados Unidos, segundo revelaram em Conferência de Imprensa, na Guarda, os presidentes das agências promocionais do Turismo do Alentejo, Vítor Silva, e do Centro de Portugal, Pedro Machado, e o director-geral de Turismo da Extremadura, Francisco Simón.

Estas entidades decidiram unir esforços para, segundo Pedro Machado, “chegar mais longe”. Para tal definiram uma estratégia com vista a maximizar a sua atractividade em mercados internacionais onde sozinhas, tendo em conta os meios técnicos e recursos financeiros, não conseguem atingir, potenciando os seus produtos ao nível do património (20 destinos considerados patrimónios da Unesco), natureza/turismo activo, gastronomia/enoturismo e turismo religioso. Para levarem a cabo o plano de acção definido, as três regiões apresentaram uma candidatura a fundos euros no valor de três milhões de euros para três anos.

Para Vítor Silva, “estamos perante marcas que não são muito fortes a nível internacional”, daí essa união de esforços “com vista à afirmação e melhor posicionamento desta grande região do coração ibérico em alguns mercados internacionais”.

Refira-se, conforme foi lembrado na Conferência de Imprensa, que esta Euroregião gerou o ano passado 5 milhões de turistas e 10 milhões de dormidas, e gera 91 mil empregos, querendo atingir os 100 mil nos próximos anos.