Algarve assume-se como destino modelo de sustentabilidade turística

O Algarve tem-se assumido como um destino modelo no que toca à sustentabilidade turística, daí que o presidente da RTA realce que “ao longo dos anos, temos vindo a focar os nossos esforços na consciencialização dos agentes do sector e da população em geral sobre a importância do turismo sustentável”.

Isto porque “um aumento do número de turistas deve ser acompanhado por um cuidado redobrado no que toca à protecção ambiental e social, à preservação da cultura, dos recursos naturais, do património histórico”.

Esta posição consta da mensagem de Desidério Silva a propósito do Dia Mundial do Turismo, que se celebra a 27 de Setembro, este ano sob o signo da sustentabilidade.

Na opinião do dirigente regional, “é necessário encontrar o equilíbrio que nos permite receber mais turistas, satisfazendo as suas expectativas, e ao mesmo tempo assegurar uma melhor qualidade de vida para a população local, permitindo que os turistas desfrutem da riqueza e da diversidade cultural que o Algarve tem para oferecer, e em simultâneo, que os residentes tenham capacidade e apetência para acolher mais turistas”.

A Região de Turismo do Algarve (RTA), de acordo com o seu presidente “está consciente que o turismo sustentável é de uma importância vital para uma região como o Algarve, cujos atrativos turísticos se prendem essencialmente com os seus recursos naturais e a sua cultura”.

Assim, a RTA “tem vindo a orientar a sua estratégia de forma a direccionar a indústria turística para um desenvolvimento sustentável, pois um sector turístico bem estruturado e administrado contribui significativamente para um desenvolvimento local estável e duradouro”.

Desidério Silva lembra, por outro lado, que o país, e o Algarve, em particular, enquanto principal destino de férias a nível nacional, assiste a um aumento da procura turística. “É necessário que este crescimento se faça de forma sustentável, para não pôr em risco o destino a médio e longo prazo, destruindo o trabalho laborioso que a grande maioria dos agentes do sector tem feito em prol da região”, considerou.