Alojamento Local: 86% das unidades são apartamentos, conclui estudo da AHRESP

A AHRESP apresentou esta sexta-feira as conclusões do estudo de caracterização do Alojamento Local (AL), realizado em parceria com o ISCTE e a Sítios e com o apoio do Turismo de Lisboa. O estudo, inédito, teve como base a Área Metropolitana de Lisboa e, entre outras conclusões, refere que a maioria das unidades são apartamentos.

Baseando-se num inquérito feito a cerca de 6.000 empresários de Alojamento Local na Área Metropolitana de Lisboa, o estudo foca a oferta de estabelecimentos, o perfil dos empresários e a procura de AL, tendo em vista, segundo Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP, “conhecer com mais detalhe a realidade do Alojamento Local no nosso país, para compreender melhor o seu papel na indústria da hotelaria e do turismo e, assim, contribuir para o seu crescimento e desenvolvimento sustentável”.

Os resultados finais deste estudo permitiram traçar com mais precisão o perfil dos imóveis, dos proprietários e dos hóspedes destes estabelecimentos.

No que toca ao perfil dos imóveis, o estudo conclui que a grande maioria,86%, é composta por apartamentos, seguem-se as moradias (6,5%), os estabelecimentos de hospedagem (5,6%) e os hostels (1,6%).

O estudo conclui também que, antes de serem convertidos em unidades de AL, 59% dos imóveis estavam desocupados, em 19% dos casos passaram de arrendamento para habitação para AL e 13% eram utilizados para habitação própria.

Quanto a regras, são muitos os alojamentos que não permitem animais (77%) e ainda mais os que não permitem fumadores (81%), sendo que quase 100% tem Internet e cozinha equipada entre os equipamentos e comodidades disponibilizados.