Amadeus com “performance financeira positiva” no 1º semestre

A Amadeus anunciou os resultados financeiros da primeira metade deste ano que reflectem uma “performance positiva” suportada por “resultados operacionais sólidos dos seus negócios e pelo efeito de consolidação da Navitaire”, destaca a empresa em comunicado.

No primeiro semestre a receita da Amadeus situou-se nos 2,490.7 milhões de euros, valor que reflecte um aumento de 9,5% face a igual período do ano passado, com o EBITDA a subir 10,1% para 998,9 milhões de euros.

Por áreas de negócio os resultados foram também positivos. Na distribuição, o volume total de reservas aéreas através das agências de viagens aumentou 5,7% atingindo 295,2 milhões, valor que supera o crescimento da indústria dos GDS, que se situou nos 4,3%. Já a receita aumentou para 1635,5 milhões de euros, o que implica um aumento de 7,6% em relação ao mesmo período do ano de 2016.

Segundo a empresa, o bom desempenho do segmento de distribuição foi impulsionado pelo crescimento em reservas aéreas através de agências de viagens, que aumentaram em todas as regiões. Tal facto contribuiu para o incremento da posição competitiva da Amadeus em 0,5pp para 43,6%. América Latina e Ásia do Pacífico foram novamente as regiões mais dinâmicas que cresceram 14,7% e 10,0%, respectivamente.

Já no negócio das soluções de IT, o número de passageiros embarcados cresceu para 19,8%, atingindo 753,4 milhões, enquanto a receita aumentou 13,3% para 855,2 milhões de euros.

Na primeira metade deste ano, o Amadeus IT Group, SA, atingiu um lucro ajustado de 574,0 milhões de euros, valor que representa um aumento de 16,1% face ao mesmo período do ano anterior.

“A evolução da Amadeus no primeiro semestre do ano foi positiva. O nosso negócio registou um bom desempenho marcado pela migração do negócio dos voos domésticos da Southwest Airlines para a plataforma Altéa, referiu Luis Maroto, CEO da Amadeus. O responsável explicou também que “o negócio de distribuição regista um crescimento contínuo a um ritmo mais elevado do que o da indústria, o que nos permite melhorar nossa posição competitiva. Desde o segmento de soluções tecnológicas, registaram-se grandes migrações que têm contribuído para a expansão da nossa presença internacional. No primeiro semestre do ano, 56,8% dos nossos passageiros embarcados foram gerados fora da Europa”.

Face aos resultados obtidos na primeira metade deste ano, o CEO da Amadeus afirma que a empresa irá “enfrentar o segundo semestre do ano com optimismo”.