ANA anuncia desempenho positivo em 2012

A ANA ? Aeroportos de Portugal alcançou resultados animadores no ano passado, um desempenho positivo que confirma a robustez do grupo ANA, que encerrou 2012 com uma subida de 1,4% no tráfego de passageiros e de 7,4% no EBITDA, ainda que o resultado liquido tenha caído mais de 23 milhões de euros. Em comunicado, a ANA explica que os resultados alcançados ?reflectem a resiliência dos seus cash-flows e a sua solidez financeira?, confirmando também ?o acerto da valorização atingida num processo de privatização exigente e competitivo que atraiu alguns dos maiores players mundiais?. A nível operacional, a ANA serviu 30,5 milhões de passageiros em 2012, o que se traduz numa subida de 1,4% face a 2011, com destaque para Lisboa, que apresentou uma evolução de 3,5% em 2012, seguindo-se Faro e o Porto, com crescimentos de 1,0% e 0,8%, respectivamente. Em sentido inverso, estão os aeroportos dos Açores e Madeira, com quebras de 5,9% e 4,6%, respectivamente, por natureza mais dependentes da procura doméstica, também afectada pela crise económica. Já a ocupação dos aviões foi de 77% em 2012, 1,2 pontos percentuais acima de 2011, ainda que o número de movimentos de aeronaves tenha caído 1,6%, à excepção de Lisboa, onde este indicador subiu 1%. Positivo foi também o EBITDA recorrente, que está associado à operação normal e que passou de 195,3 milhões de euros em 2011 para 209,6 milhões de euros em 2012, o que se traduz numa subida de 7,4%. Em 2012, a ANA alcançou um volume de negócios de 428,7 milhões de euros, valor que não inclui o montante relativo ao aos Acordos de Concessão de Serviços (IFRIC 12) e que se traduz por uma subida de 1% face ao ano anterior, tendo o EBITDA do grupo, não considerando os impactos da IFRIC 12, situado-se nos 203,3 milhões de euros, ligeiramente abaixo do alcançado em 2011 (-0,7%). O resultado líquido, por sua vez, atingiu os 53 milhões de euros, o que reflecte um decréscimo de 23,5 milhões de euros face a 2011 (-30,7%), indicador que foi ?fortemente influenciado pela adopção pela ANA, SA pela primeira vez da IFRIC 12?, ainda que a ANA diga que esta redução é ?meramente aparente?, uma vez que na base comparável com 2011, os resultados do Grupo seriam de 82,4 milhões de euros, 7,7% acima do ano anterior. ?A ANA, S.A. (empresa-mãe do Grupo ANA) adoptou a norma internacional de relato financeiro relativa aos Acordos de Concessão de Serviços (IFRIC 12) pela primeira vez em 2012, na sequência da assinatura do Contrato de Concessão com o Estado Português, a 14 de Dezembro de 2012. A implementação pela primeira vez desta norma implicou o registo, de uma só vez, da totalidade das responsabilidades acumuladas com as grandes reparações, o que implicou um impacto negativo no resultado líquido sem efeito em disponibilidades?, explica a empresa gestora dos aeroportos nacionais. I.M.