António Costa atribui crescimento do turismo à qualidade da oferta e excelência dos serviços

O Primeiro-Ministro, que encerrou esta quarta-feira a 4ª edição do Fórum de Turismo Vê Portugal, em Leiria, atribuiu o crescimento do turismo em Portugal à qualidade da oferta, e não à conjuntura mundial, bem como à excelência dos serviços prestados.

Para António Costa os resultados derivam de uma estratégia prosseguida “ao longo de mais de dez anos de investimento na formação, na criação de novas rotas, numa estratégia inteligente de promoção e de diversificação da nossa oferta turística”.

António Costa apontou ainda o turismo como um “dos grandes motores do crescimento da economia nacional”, tendo em 2016 contribuído “em mais de 16% para o conjunto das exportações de bens e serviços e 49% das exportações só no sector dos serviços”, para acrescentar que “o crescimento da economia nacional, a fortíssima redução do desemprego e a criação de emprego deve-se muito ao sector do turismo”.

O Primeiro-Ministro notou igualmente que o crescimento do turismo não teria sido possível “sem a qualidade do investimento e do profissionalismo daqueles que trabalham no sector”, tendo-os agradecido “por aquilo que fizerem pelo país”.

“ O grande crescimento que temos tido no turismo nos últimos anos não é na nossa oferta de sol e praia, essa felizmente era boa, continua bem e vai continuar bem. Onde temos tido um crescimento mais forte e significativo é a naquela oferta que não se centra no sol, nem na praia”, revelou, apontando que o turismo “triplicou”, sobretudo, nas regiões ‘fora’ de sol e praia.

Por outro lado, o Chefe do Executivo realçou a necessidade de se olhar para as regiões de Espanha que fazem fronteira com Portugal e ver o mercado português “como sendo um mercado não de 10 milhões de habitantes, mas de 60 milhões de consumidores”.

Por isso, defendeu, a fronteira deve deixar de ser uma linha de separação e passar a ser “ponto de união” entre Portugal e Espanha e entre os agentes económicos e culturais dos dois países, para que se possa “criar em conjunto um grande mercado”.

Foi perante uma plateia cheia do Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, que decorreu a sessão de encerramento do 4.º Fórum de Turismo Interno “Vê Portugal”.

Além do Primeiro-Ministro, foram oradores na sessão de encerramento do fórum, uma iniciativa do Turismo Centro de Portugal, Raul de Castro, presidente da Câmara de Leiria, Francisco Martín Simón, director-geral de Turismo da Junta da Extremadura, e Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

Entre a plateia, destacava-se a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, além do presidente da Associação de Municípios Portugueses, Manuel Machado, de Ana Abrunhosa, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, e de vários autarcas.