António Loureiro: ?Papel das agências vai ser reforçado em 2014?

A ideia foi deixada ao Turisver.com por António Loureiro, director regional da Travelport para Portugal, Brasil e Espanha, que avançou ainda esperar que o próximo ano continue a ser muito positivo para Portugal na área do incoming. A nível de incoming, Portugal vai continuar a ser, em 2014, o ?porta-aviões? da Europa em termos do destino Brasil. Esta foi a perspectiva avançada ao Turisver.com por António Loureiro, director regional da Travelport Portugal, Brasil e Espanha. E o responsável avança que Portugal tem condições para se afirmar como hub de referência de toda a América Latina. ?A própria América Latina, se enveredarmos por aí, com certeza irá utilizar Lisboa como porta de entrada?. Na base desta perspectiva está a ideia perfilhada por António Loureiro de que ?talvez nós sejamos rapidamente o país mais friendly para se poder entrar na Europa por via aérea, além de sermos o mais próximo?. Claro que para isto acontecer há que cumprir determinados requisitos: ?é necessário que as taxas aeroportuárias não disparem e que nos mantenhamos competitivos?. Já no que se refere ao outgoing, António Loureiro diz que as coisas irão desenvolver-se ?calmamente?, com as empresas a aperceberam-se aos poucos de que há uma nova ordem no mundo das viagens. ?Quer se queira quer não, a filosofia dos descontos tem os dias contados e as agências de viagens começam a diferenciar-se pelo serviço? afirma António Loureiro explicando que ?é impossível manter fees muito baixos sem os compensar de qualquer maneira? dado que isso ?mais tarde ou mais cedo tem os seus custos?, principalmente quando se caminha para ?uma regularização do BSP cada vez menor?. O responsável diz ainda pensar que ?2014 pode ser o ano em que as agências comprovem às empresas que são efectivamente muito mais atractivas do que a simples reserva via Net?. Dito por outras palavras, António Loureiro considera que ?o papel das agências vai ser reforçado em 2014? até porque ?começa a haver uma desaceleração por parte das empresas online?, como aconteceu já este ano em Espanha com este tipo de empresas a registar ?crescimento zero?. A propósito, o director regional da Travelport Portugal, Brasil e Espanha sublinha que ?as pessoas já se aperceberam que cada um tem o seu espaço e presta o seu serviço e as coisas estão agora a entrar nos carris sob o ponto de vista da normalidade e a tão propalada credibilidade devolvida às agências de viagens vai inevitavelmente chegar?. J.L.E.