APAVT apela à desconvocação da greve na TAP

A Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo (APAVT) veio apelar ontem à “rápida desmobilização” da greve convocada por pilotos e tripulantes da TAP para os dias 21 a 23 de Março, defendendo que só assim será possível “evitar mais uma gravíssima crise no turismo e na economia nacionais”. Em comunicado, a associação diz que “esta greve afectará drástica e transversalmente toda a actividade económica do turismo”, contribuindo também para “fragilizar a própria TAP num momento crucial da sua vida”, além de “criar uma imagem negativa de Portugal, enquanto destino turístico, da qual será difícil recuperar”. Para a APAVT, a greve vai prejudicar os portugueses, bem como os turistas, “podendo mesmo dar origem ao cancelamento puro e simples das intenções de visita, uma consequência que se estenderá muito além das datas da greve”. “Sublinhamos também que, como infelizmente tem acontecido em ocasiões idênticas, a simples manutenção da perspectiva da greve afastará os clientes das rotas operadas pela companhia, independentemente da sua realização efectiva, nos dias previstos, pelo que urge que este cenário seja afastado com a maior urgência”, considera a APAVT. “É dramática e absolutamente incompreensível, sobretudo se considerarmos que com esta greve os sindicatos estão, acima de tudo, a revoltar-se contra quem não criou a situação e, de facto, enfrenta os mesmos problemas”, afirma o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, acrescentando que o recurso à greve “não é, seguramente, a solução”. I.M.