APAVT apresentou consequências da greve na TAP e na SATA ao SET

A Associação das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) reuniu ontem com o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, numa reunião que serviu para a associação apresentar ao governante as consequências que a greve agendada na TAP e na SATA, bem como as suas “preocupação face à ausência de respostas atempadas por parte do Governo”. “O simples anúncio desta greve já deu origem a uma vaga de cancelamentos de difícil recuperação, tanto no outgoing como no incoming, em cada dia que passa a situação agrava-se”, afirma o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, acrescentando que “há que entender, de uma vez por todas, que a eventual desconvocação da greve, a ter lugar apenas na sua véspera, será um fracasso, pois o mal estará feito e sem recuperação possível”. De acordo com a APAVT, caso não se vislumbre uma solução que conduza “à desconvocação imediata da greve”, o Governo deverá optar pela requisição civil que, diz a associação, “não eliminando as consequências, poderá ainda assim mitigar parte do impacto negativo sobre o Turismo e a economia nacional”. “O dead-line para se chegar a um acordo, já tardio, não se pode estender além deste fim-de-semana, sob pena de ser inconsequente”, conclui o presidente da APAVT. I.M.