ARAC traça objectivos para 2018 em reunião da Assembleia Geral

O reforço da actuação e afirmação da ARAC enquanto parceiro social, a promoção e valorização da sua imagem enquanto entidade representativa da actividade da mobilidade sem condutor, e o enfoque na formação profissional dos trabalhadores do sector, são as grandes prioridades da Associação para este ano.

A ARAC reuniu em Assembleia Geral esta terça-feira, em Lisboa, para discussão e aprovação do Relatório do Conselho Director e das Contas referentes ao exercício de 2017 e do Parecer do Conselho Fiscal, bem como do Plano de Actividades e Orçamento para 2018.

O acompanhamento dos dossiers em curso na União Europeia respeitantes á actividade de rent-a-car com especial destaque para o Consumer Protection/Code of Best Pratices, o Cross Boarder Rentals, o Insurance Distribuition Directive, o IFRS 16 – Contabilização das Locações, as novas modalidades de locação de veículos, os brokers/intermediaries and car/ride sharing providers, a revisão da directiva do truck-rental, e o carsharing, é outra das prioridades da ARAC.

Fazem igualmente parte da estratégia e acções a desenvolver este ano, a criação de um Conselho Estratégico para discussão e elaboração de estudos e acompanhamento dos dossiers comunitários e nacionais referentes ao sector de rent-a-car, a implementação de um Código de Conduta aplicável às empresas associadas da ARAC que seja para o cliente um garante de qualidade, transparência e rigor nas prestações de serviços efetuadas na linha do definido pela União Europeia, e a criação de uma base de dados de viaturas de rent-a-car que tenham sido objecto de furto, roubo ou abuso de confiança.

A ARAC, que celebra 43 anos em 2018, pretende ainda apostar na valorização da imagem do aluguer de automóveis sem condutor (ACD, AOV, ALD e AVM) português junto da opinião pública, promovendo o estudo e conhecimento da actividade.