Área Arqueológica do Mezio-Gião vai ser valorizada

Responder à “crescente procura turística” do Parque Nacional da Peneda-Gerês em que se insere esta área arqueológica, é o objectivo do investimento que a autarquia de Arcos de Valdevez vai realizar.

A autarquia minhota anunciou esta sexta-feira que vai investir 350 mil euros num projecto de valorização da Área Arqueológica do Mezio-Gião tendo em vista “oferecer” aos turistas que visitam aquela região “novos suportes e experiências relativos a esta temática”.

Designado “Vozes das Pedras – Promoção e Valorização da Área Arqueológica Mezio-Gião” o investimento, segundo revelou a autarquia de Arcos de Valdevez, vai incidir “nas 100 rochas de arte rupestre identificadas no Gião e nas 11 mamoas da Área Arqueológica do Mezio” .

“Esta iniciativa irá remeter os turistas para a relação do Homem com os elementos culturais e naturais. Com pedras enquadradas numa paisagem delimitada, o Homem do Mezio-Gião criou arte rupestre e espaços de rituais de enterramento (mamoas), mas criou-os num profundo relacionamento com o espaço natural, lendo-o, interpretando-o e experienciando-se a si e à paisagem como um só”, explica o município em nota informativa.

O projecto, que é da ARDAL – Associação Regional de Desenvolvimento do Alto Lima, vai ser financiado por fundos comunitários do Programa Operacional da Região Norte – Património Cultural.

A intervenção agora anunciada visa igualmente reforçar a atractividade da Porta do Mezio “enquanto estrutura de promoção, recepção, animação e interpretação do território do Parque Nacional da Peneda Gerês” que em 2009 foi classificado como Reserva Mundial da Biosfera.