Assinado contrato do novo modelo de promoção externa

Como já era conhecido, o protocolo do novo modelo de promoção externa ontem assinado entre o TP, CTP, ERTs e ARPTs vem dar maior relevo à participação dos órgãos regionais de turismo e dos privados, e passa a integrar não apenas a promoção mas também a comercialização e apoio à venda. Quanto a verbas, serão definidas pelo próximo O.E. O novo modelo, que deverá vigorar em 2014, reforça a participação de privados, prioriza as parcerias com as empresas do sector e a concertação de estratégias de promoção turística nacional e regional. Daí que a partir do próximo ano o CEPT (Conselho Estratégico de Promoção Turística) passe a integrar as Entidades Regionais de Turismo, bem como o AICEP Global e a ANA ? Aeroportos de Portugal. A propósito, o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes explicou ?o objectivo é que o CEPT tenha um papel mais importante do que tem e mais abrangente daquele que tem, daí a sua abertura a novas entidades que não se inscrevem no sector institucional do turismo mas que têm bastante relevância do ponto de vista turístico?. O novo modelo assegura ainda a articulação entre as estratégias regionais e nacional, alinhando os objectivos dos Planos regionais com os do PENT, ao mesmo tempo que pretende reforçar a interacção com outros sectores, nomeadamente a indústria e a cultura. Com este modelo de promoção nos mercados externos, o investimento continuará a ser feito no online, como avançou Luís Matoso, da Administração do Turismo de Portugal, muito embora continuem a existir ?meios tradicionais de promoção?, como a presença em feiras e a organização de fam e press trips. Para já, o mecanismo de financiamento para a contratualização da promoção externa continuará a ser o mesmo: por cada euro investido pelos privados corresponderá o mínimo de um euro por parte de cada ERT e quatro euros de investimento do Turismo de Portugal, sendo que ?um terço do investimento do plano regional é direccionado para o Plano de Comercialização e Venda da região, a desenvolver com as empresas aderentes?. Em 2015, será implementado um novo modelo, válido por três anos, e que ?potenciará a utilização do novo quadro comunitário de apoio para a promoção do país?. M.F.