Associações portuguesas aderem ao código mundial de ética da OMT

No total, foram 17 as entidades associativas do sector do turismo, que aderiram ao código de ética da OMT. O compromisso foi assinado esta segunda-feira, no Estoril, em cerimónia que contou com a presença do secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, e do secretário-geral da OMT, Taleb Rifai. A Confederação do Turismo Português, foi uma das entidades que assinou o Código, mas as adesões abrangeram associações representativas da hotelaria, do turismo de habitação, termas e resorts, entre outras. Antes da adesão das associações portuguesas, 187 empresas e associações de 24 países e territórios de todo o mundo bem como quatro associações regionais da América Latina e Europa. já tinham assinado este Código. Aprovado em 2011 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, o Código Mundial de Ética da Organização Mundial de Turismo é um conjunto abrangente de princípios que pretendem afirmar o direito ao turismo e à liberdade das deslocações turísticas, bem como a promoção de uma ordem turística mundial, equitativa, responsável e sustentável, em benefício partilhado de todos os sectores da sociedade, num contexto de uma economia internacional aberta e liberalizada, segundo explica uma nota do Turismo de Portugal. Para o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, ?a adesão de algumas das principais associações do sector a este Código demonstra o compromisso reforçado do sector empresarial português do Turismo com as melhores referências e práticas de desenvolvimento sustentável e comprova algo que tenho vindo a insistir há algum tempo: a auto-regulação é o mais eficaz mecanismo de organização e regulação de um sector, sendo por isso desejável que o Estado saia e disponibilize espaço para a auto-regulação”. O governante disse ainda estar certo que ?sendo o sector turístico nacional já hoje um referencial no que se refere aos princípios deste Código – como o respeito pelos direitos humanos, inclusão social, igualdade de género, acessibilidade e protecção de grupos vulneráveis ?, enriquecerá com a sua adesão este esforço global da Organização Mundial do Turismo?. Além da CTP, foram as associações que assinaram o Código foram: Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), a Associação Portuguesa de Resorts (APR), a Associação Nacional do Turismo Equestre (ANTE), a Associação Regional de Hoteleiros Costa Estoril, Sintra, Mafra e Oeiras, a Associação Portuguesa de Turismo no Espaço Rural (Privetur), a Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT), a Associação dos Directores de Hotéis de Portugal (ADHP), a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), a Associação Nacional de Cruzeiros (ANC), a Associação das Termas de Portugal (ATP), a Associação do Turismo de Habitação (TURIHAB), a Associação Casas Brancas, a Associação Rota Vicentina, a Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE), a Associação Portuguesa dos Portos de Recreio (APPR) e a Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve (AIHSA). Assinado no âmbito da 3.ª Conferência Internacional de Turismo e Meios de Comunicação da OMT, que ontem terminou no Hotel Palácio do Estoril, o Código pode ser consultado em http://bit.ly/19tGEIP. M.F.