Atlas da Hotelaria 2016: Hotéis continuam a reunir a preferência dos consumidores

Pese embora o aumento da procura pelo alojamento local, continuam a ser os hotéis a comandar as preferências dos turistas que demandam Portugal. Esta é uma das conclusões do Atlas da Hotelaria 2016, da Deloitte.

De acordo com este estudo, Lisboa é a região mais visitada do país, independentemente da época do ano. “O tipo de alojamento escolhido pela maioria são hotéis, hotel apartamento e pousadas” que, em conjunto, reúnem 68% das preferências.

No entanto, diz o estudo, “nos segmentos mais jovens” está a observar-se “uma procura crescente por hostels ou guesthouses”, que no entanto não vai ainda além dos 9%.

Portugal conta actualmente com mais 135 empreendimentos turísticos (total de 1.864) e 6.203 unidades de alojamento face a 2015, números que, segundo o estudo, são influenciados pelo crescimento do número de hotéis de 4 estrelas (68).

Os hotéis são a tipologia de empreendimentos predominante em Portugal com 73%, seguindo-se os apartamentos turísticos (10%), os hotéis apartamentos (8%), os hotéis rurais (4%), os aldeamentos turísticos (3%) e as pousadas (2%).

Os empreendimentos turísticos de 3 e 4 estrelas são os que predominam a nível nacional, representando 34% e 37% do mercado, ou seja, 643 e 695 unidades hoteleiras respectivamente. Os empreendimentos de duas estrelas ocupam a terceira posição, com 16%, e os de cinco estrelas a quarta, com 8, ou seja, 142 unidades.

O Atlas da Hotelaria 2016 sublinha ainda que o alojamento local tem verificado “um crescimento assinalável, motivado sobretudo pelas plataformas de pesquisa e arrendamento online”. O número destas unidades já ultrapassa as 22.000, com uma oferta que, mesmo assim, não vai além de 88.000 camas. As regiões de Lisboa e Algarve concentram cerca de 75% das unidades, e a Região do Norte surge na 3ª posição com 11%.

Pestana, Vila Galé e Accor formam o Top3 dos grupos hoteleiros em Portugal, e o Algarve continua a concentrar o maior número de empreendimentos turísticos.