ATP estabelece “pontes” com hospitais para desenvolver turismo médico

A Associação das Termas de Portugal (ATP) está a “desenvolver pontes” com alguns hospitais do país, no sentido de lançar “alguma oferta integrada” no âmbito do turismo médico, revelou sexta-feira o director de marketing da ATP, João Pinto Barbosa, durante a BTL – Feira Internacional de Turismo. “Estamos a estabelecer pontes com alguns hospitais, nomeadamente em Coimbra e na Covilhã, para podermos desenvolver alguma oferta integrada para quem vem cá por uma motivação médica, como uma cirurgia, por exemplo, para que possa fazer a recuperação, convalescença ou fisioterapia em ambiente termal”, explicou o responsável. De acordo com João Pinto Barbosa, este é um segmento com “muito interesse e potencial, há imensos países que apostam nesta área”, num projecto que deverá arrancar ainda este ano com a promoção internacional. “É para arrancar ainda este ano, já estamos a conversar para começarmos a ter pacotes nos mercados internacionais. Isto não é só um esforço das termas e dos hospitais, até porque as entidades oficiais também estão a trabalhar nesta matéria, como a Secretaria de Estado do Turismo, o Ministério da Saúde e o Health in Portugal. Há aqui uma pool de actores que dão outra força ao projecto”, considera João Pinto Barbosa. Para o director de marketing da ATP, a aposta neste projecto é importante uma vez que a vertente terapêutica continua a ser o “core business” das termas nacionais, ainda que 50% dos clientes das estâncias termais já revelem outra motivação. “As pessoas continuam a ver as termas como um sítio para tratamento e esse é, digamos assim, o nosso core business mas as termas são também muito mais do que isso. Fechámos o ano de 2013 com 50% das pessoas que procuram as termas a terem já uma motivação de lazer e bem-estar, à procura de programas e de estilos de vida saudáveis. Ou seja, as pessoas já procuram as termas para passar um fim-de-semana em família mesmo sem terem qualquer patologia, há aqui uma viragem”, referiu. I.M.