Ávoris renuncia concorrer ao fornecimento de viagens ao Estado espanhol

No dia em que encerrou o prazo (4 de Janeiro) para as agências de viagens apresentarem as suas ofertas para o concurso do novo contrato de fornecimento de viagens à administração geral do Estado espanhol, por parte das agências de viagens (CORA), a BCD Travel, agência corporativa da Ávoris renunciou a apresentar uma oferta, uma vez que considera que com o actual documento de licitação, não pode garantir rentabilidade.

“Em primeiro lugar, optamos pela não apresentação ao concurso devido à falta de informações incluídas nas propostas e reivindicadas pela administração pelo grupo em diversas ocasiões. A falta desta informação impede-nos de apresentar uma oferta de qualidade suficiente porque desconhecemos o número de serviços, bem como a quebra nacional / internacional, informações que consideramos chave “, refere o comunicado citado pela imprensa espanhola.

A Ávoris acrescenta que “em segundo lugar, queremos mostrar que, como agência de viagens não pode garantir as tarifas dos diferentes fornecedores, já que estas dependem sempre dos próprios operadores de mercado que actuam em livre concorrência, o que deixa a agência numa situação muito difícil em relação a mudanças de preços previsíveis, o que faz o concurso colocar candidatos claramente em risco”, uma vez que o Governo espanhol publicou a licitação do CORA por um período de dois anos.

Como conclusão, a agência destaca que, neste caso, seria abrigada a assumir as diferenças nas tarifas dos operadores, uma vez que o preço final não depende dela.

A novidade em relação ao contrato anterior (ainda em vigor) é que o número de lotes é acrescentado de quatro a cinco, e o mais lucrativo (Defesa e Interior) será agora divididos em dois lotes. A 18 de Janeiro e 1 de Fevereiro, procedem-se as aberturas das ofertas económicas e técnicas, respectivamente, e prazo de adjudicação deverá ser a partir de 6 de Abril. O valor estimado do contrato é de 71,4 milhões de euros por ano por um período de dois anos renovável por dois outros, o que daria um total de 285,6 milhões de euros. Esta avaliação económica do novo contrato representa um aumento de 23%, em comparação com os 58 milhões ao ano (171 milhões quando finalizados em Abril) do contrato anterior.

A maioria das agências de viagens espanholas não ofereceu os cinco lotes, mas escolheu os que eles consideram mais rentáveis, excepto a Viajes El Corte Inglés, Halcón, Naitalia e IAG7 apresentaram as suas ofertas para os cinco lotes em que o novo contrato CORA se divide. A grande surpresa veio quando a BCD Travel, a agência corporativa da Ávoris (divisão de viagens do grupo Barceló), decidiu no último minuto não licitar por nenhum dos lotes. O previsível é que este novo contrato venha a ser gerido em diferentes lotes por várias agências de viagens, ao contrário do anterior, gerido apenas pela Halcón.

Enquanto a Ávoris anunciou a sua renúncia no mesmo dia do encerramento do prazo de apresentação das ofertas, um dia depois foi a vez da Carlson Wagonlit Travel (CWT) de abdicar da sua participação no concurso, pelas mesmas razões.