Bazaruto pode salvar o ano turístico em Moçambique

A província de Inhambane, onde se situa a ilha de Bazaruto, é o único destino que poderá salvar o ano turístico em Moçambique, já que se espera ultrapassar, largamente, o número de turistas que recebeu em 2015.

Segundo a Rádio Voz de América, que fez uma ronda pelo país, o pico da época do turismo em Moçambique praticamente já iniciou, mas, por causa da tensão político-militar, ainda não se nota uma actividade intensa, em particular em Sofala, onde se localiza o mítico Parque Nacional da Gorongosa.

A actual governação em Moçambique definiu o turismo como um dos quatro sectores prioritários no seu plano de cinco anos, mas a tensão militar tem retardado o seu desenvolvimento.

Apesar de no Parque Nacional da Gorongosa se tenha desenvolvido um turismo de alta qualidade, mas neste momento, a actividade turística está bastante reduzida, indica aquela rádio, acrescentando que situação idêntica também se vive na cidade de Maputo, onde a maior parte dos quartos das unidades hoteleiras estão por reservar, quando nesta esta altura do ano, a ocupação já é grande.

Em Moçambique, o sector do turismo, que representa 3,5% do PIB, emprega mais de 300 mil pessoas.