Beijing Capital Airlines já liga a China a Portugal

O primeiro voo proveniente de Hangzhou e Pequim aterrou esta quarta-feira cerca das 08h30 no Aeroporto Humberto Delgado, onde era aguardado por vários membros do governo. A ligação foi classificada por Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, como “muito estratégica”, termos económicos e ao nível do turismo.

A comparação inicialmente feita pelo primeiro-ministro, António Costa, na apresentação desta rota, já foi utilizada por vários membros do governo, e agora também por Pedro Marques. O ministro do Planeamento e das Infra-estruturas considerou “histórico” o primeiro voo directo entre a China e Portugal e frisou que “esta ligação é a verdadeira rota aérea da seda do século XXI”, sendo igualmente, “um grande feito para Portugal”.

A nova rota, disse aos jornalistas à margem do evento, “é muito importante do ponto de vista turístico”, esperando-se um acelerar do crescimento deste mercado que está já a crescer a dois dígitos, mas também em termos económicos. “Significa muito mais oportunidades para as empresas portuguesas se aproximarem dos mercados chineses, no reforço das relações económicas com empresas chinesas e reforço do potencial das relações políticas entre os países”.

Recordando que “este foi um dos acordos assinados há um ano atrás, mas muito tinha sido feito pelo Governo, pela ANA, pelo Turismo de Portugal antes dessa visita. Também foi muito importante a presença há duas semanas em Portugal do presidente da Assembleia da República Popular da China”, o governante, falou também do grupo HNA “que não só concretiza este voo, como é o grupo que investiu indirectamente na TAP, através da Atlantic Gateway”. Já quando à rota em si, sublinhou tratar-se de “uma ligação que pretende valorizar a nossa TAP e a economia portuguesa”, disse.

Na cerimónia estiveram também a secretária de Estado do Turismo, o presidente do Conselho de Administração da ANA e o secretário de Estado das Infra-estruturas.