Binter CV vai passar a unir todas as ilhas de Cabo Verde

A Binter CV, empresa criada há cerca de três semanas e sediada no Sal com dois aviões ATR-72, com 72 lugares, pretende, a médio prazo, unir todas as ilhas de Cabo Verde.

Em declarações ao turisver.com, em Lisboa, Olga Iglesias, responsável comercial da transportadora aérea canarina Binter para o mercado português e pelos voos internos em Cabo Verde, afirmou que “o objectivo é levar a nossa filosofia das Canárias para unir todas as ilhas do arquipélago, e permitir uma maior e melhor mobilidade aos cabo-verdianos dentro do seu próprio país”.

Numa primeira fase, a Binter Cabo Verde está a ligar as ilhas de Santiago (cidade da Praia), do Sal e São Vicente com frequências diárias, que permitem ir e voltar no mesmo dia. Numa segunda fase, ou seja, a partir de Janeiro de 2017, com a chegada de um terceiro avião, a empresa vai passar a operar também para as ilhas de Maio, Fogo e Boavista, com frequências diárias.

A Binter CV ocupa assim um lugar vago “já que os TACV não ofereciam soluções para os passageiros irem e voltarem no mesmo dia a diferentes ilhas”, referiu Rosa Iglesias, realçando que “a nossa primeira prioridade são os cidadãos cabo-verdianos, mas não deixamos de abordar o mercado turístico europeu de férias em Cabo Verde e que pretende visitar outras ilhas”. Neste sentido mantém excelentes relações com as agências de viagens locais, conhecedoras do mercado.

Esta entrada em Cabo Verde faz igualmente parte da nova estratégia da Binter a nível internacional, que é tornar Canárias num hub entre a Europa e a África. Neste sentido oferece ligações desde o arquipélago das Canárias a países africanos como o Senegal (Dakar), Gâmbia (Banjul), Mauritânia (Nouakchott), Marrocos (Casablanca, Marraquexe e Agadir) e Cabo Verde.