Brasil “dá cartas” no turismo de cruzeiros

Dados da Embratur revelam que a temporada de 2011/2012 bateu todos os recordes, com um total de 17 navios a percorrerem a costa brasileira, transportando 805.189 passageiros. O aumento, face à temporada anterior, foi de 1,56%, com mais 386 escalas em 20 portos brasileiros, efectuadas ao longo de quase sete meses, traduzindo um crescimento na ordem de 1,56% sobre o total da temporada anterior. O aumento significou 386 atracações em 20 portos nacionais, ao longo de quase sete meses. Para Flávio Dino, presidente da Embratur, os números da última temporada são para comemorar, até porque o Brasil é já considerado o 5º país no ranking mundial dos cruzeiros marítimos. “Não podemos ignorar o facto de que os cruzeiros marítimos, além de servirem como fonte de lazer para os passageiros, beneficiam os destinos turísticos em diversos aspectos. O fluxo de turistas nas pequenas cidades costeiras movimentam a economia dessas regiões e geram empregos, é isso que tem sucedido”, afirma. A comprová-lo estão, uma vez mais, os números, já que de acordo com a Embratur estima-se que a temporada de cruzeiros 2010/2011 tenha tido impactos económicos totais, directos e indirectos, da ordem dos 523 milhões de euros: 333 milhões de euros gerados pelos gastos dos armadores com compras de suprimentos, custos portuários e combustíveis e 195 milhões de euros gerados pelos gastos dos cruzeiristas nos portos de embarque/desembarque e de trânsito. Na temporada de 2012/2013, que se iniciou em Novembro e terminará em Abril, a costa brasileira será percorrida por 15 navios, tendo em Santos (São Paulo) e Rio de Janeiro, os principais portos de embarque e desembarque. E mesmo com uma diminuição de 15% na oferta e com uma temporada a durar menos dois meses que a anterior, a Embratur acredita que o turismo de cruzeiros continuará a crescer no Brasil. M.F.