Brussels Airlines investe na renovação da frota de longo curso

No decorrer 2018 e 2019, a Brussels Airlines vai substituir sete dos 10 aviões com os quais opera as ruas rotas de longo curso. Com o novo investimento, a companhia aérea belga mantém-se fiel aos Airbus A330, substituindo os A330-200 por A330-300 ‘CEO’.

O conselho de administração da Brussels Airlines aprovou, recentemente, a aquisição dos sete A330-300 ‘CEO’, que considera a melhor aeronave a nível comercial, económico e operacional para as suas rotas de longo curso, que pretende expandir no futuro.Os aviões vão ser equipados com novas cabines, que pretendem oferecer o máximo conforto em qualquer das três classes da companhia aérea, concretamente a Business Class, EconomyPrivilege e EconomyClass.

Os novos Airbus A330 oferecem alguns benefícios, como um máximo superior a nível de peso e alcance na descolagem, o que aumenta o potencial número de passageiros, bem como de carga. Vão ser equipados com motores Rolls Royce Trent 700, um tipo de motor que consome menos combustível e reduzida emissão de CO2 e de ruído. Uma vez que a fase de substituição esteja concluída, em 2019, a Brussels Airlines vai apresentar uma frota mais jovem e eficiente, oferecendo um maior conforto.

Bernard Gustin, CEO da Brussels Airlines, considera que “poucos meses após a aquisição total da Brussels Airlines, a Lufthansa, em nome do Eurowings Group, tomou uma importante decisão de investimento, confirmando a sua confiança no futuro sustentável e desenvolvimento da Brussels Airlines”. Este é o maior projecto de investimento nos 15 anos de Brussels Airlines, com o qual pretende “oferecer aos nossos clientes uma experiência de viagem que realmente os faça sentir em casa e às nossas equipas a possibilidade de superar as expectativas dos nossos passageiros”.